17 novembro 2017

[Resenha] A Obsessão - Por Nora Roberts


Título: A obsessão
Autor (a): Nora Roberts
Páginas: 462
Editora: Bertrand
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon

Sinopse: Uma mistura de suspense e romance em mais uma obra prima de Nora Roberts Naomi Bowes viu seu mundo ruir na noite em que resolveu seguir seu pai floresta adentro. Ao libertar uma garota presa no porão, Naomi revela a terrível extensão dos crimes cometidos por seu pai e, consequentemente, torna-o famoso. Agora uma fotógrafa bem-sucedida sob o nome de Naomi Carson, a jovem encontra um lugar para chamar de seu. Uma casa velha, localizada a centenas de quilômetros de sua antiga vida. Apesar de desejar a solidão, os gentis moradores de Sunrise Cove insistem em tê-la por perto e acolhê-la — especialmente o determinado Xander Keaton. Ela sente suas defesas caírem e, mesmo certa de que o acolhimento que sua nova vida oferece é algo que sempre quis, os pecados do seu pai se tornam uma obsessão. E, como já aprendeu, seu passado está a um pesadelo de distância...

"Seus dedos, porém, puxaram o ferrolho. Quando ele resistiu, ela usou as duas mãos. Cerrou os dentes quando o abriu, arranhando a madeira.
Era sua bicicleta, afirmou para si mesma enquanto aquele peso horrível se acomodava em seu peito. Sua bicicleta vermelha e brilhante de aniversário. Era isso que encontraria.
Lentamente, Naomi ergueu a porta e olhou para a escuridão abaixo.
Engoliu em seco, tirou uma pequena lanterna do bolso e, guiando-se pelo fino facho de luz, desceu pela escada.
Sentiu um medo súbito de que o rosto do pai aparecesse na abertura, com aquele olhar selvagem e terrível. E de que aquela porta se fechasse, trancando-a ali. Quase retornou, mas, então, ouviu um gemido.
E congelou na escada."

Aos doze anos de idade, enquanto deveria estar aproveitando o restante da infância e se tornando uma pré-adolescente saudável, Naomi Bowes precisou se tornar adulta repentinamente. Isso se deu em uma noite quente, na qual se formava uma grande tempestade. Nela, enquanto olhava pela janela, após acordar no meio da noite, a garota avistou o pai embrenhando-se na floresta sorrateiramente. Imaginando que ele iria se refrescar no rio, o seguiu, a fim de fazer o mesmo. Porém, ao vê-lo entrar em um alçapão escondido em meio ao mato e plantas no seio da floresta, sua intuição foi de que aquilo era algo muito maior. E, assim que o homem saiu, horas depois, ela, ainda de camisola e assustada refez os passos do pai, e o que viu ficou marcado em si para sempre. Lá havia uma garota amarrada, nua e amordaçada que implorava por socorro. E o pior de tudo: nas paredes daquele lugar macabro haviam outras dezenas de fotografias de garotas iguais a ela, o que demonstrava que a ação era praticada há muito tempo, e que muitas mulheres haviam encontrado o destino da morte naquele cômodo, e que seu pai era um provável serial killer. Assustada, Naomi ajudou Ashley, a garota, a se desvencilhar dos aparatos que a prendiam, e caminhando em meio a lama e a floresta, ambas conseguiram chegar à cidade a fim de pedir ajuda.

"Como podia ter se esquecido, se permitido esquecer, das suas origens, de como o cotidiano era frágil?
Um livro em uma prateleira, pensava agora. Isso era tudo de que precisava para lembrar."

Aquilo era para ser o fim de um pesadelo. Porém, acabou se tornando somente o começo, pois após o pai de Naomi ser preso, os jornalistas caíram como abutres sobre ela, o irmão mais novo, Mason, e também sobre a mãe, Susan, uma mulher fraca e submissa. Foi então que auxiliados pelo tio, a família se mudou para Nova York, com o intuito de reconstruir uma nova vida para si. Vários anos depois, agora atendendo como Naomi Carson, a garotinha que teve a vida modificada aos doze anos de idade se tornou uma mulher independente, determinada e sem rumo. Trabalhando como fotógrafa, seu caminho era aquele que as lentes da câmera lhe apontavam, e seu lar era qualquer lugar que encontrasse para dormir. Porém, ao encontrar uma pequena cidade em Washington, e uma imensa casa em um penhasco, Naomi resolve comprá-la. Com as reformas, com os vizinhos que conhece e com a presença de Xander, um mecânico e vocalista de uma banda de rock, ela finalmente se convence de que seus piores pesadelos ficaram para trás e que ali é possível pensar em reconstruir uma nova vida para si. No entanto, essa crença se torna infundada quando mulheres da pequena cidade começam a desaparecer, e seus corpos passam a ser encontrados sem vida. Logo, define-se um padrão nessas mortes, e indo a fundo nas investigações, a conclusão é de que há alguém terrível a solta, e que talvez este queira Naomi...

"O universo não deveria ter-lhe dado algum tipo de aviso prévio? Ele precisava de um pouco de tempo, precisava se ajustar, se reagrupar, precisava...
Então Naomi olhou para cima, seus olhos encontrando os dele.
Foi como se tivesse sido inundado por aquele turbilhão de sentimentos, e ele perdeu o ar. Por um instante, perguntou-se como as pessoas viviam assim, como eram capazes de carregar tanto dentro de si mesmas."

Com romance, suspense e drama na medida certa, Nora Roberts constrói em A obsessão uma obra ágil e empolgante de se ler, e mostra mais uma vez que sua fórmula, tão adorada, consegue cativar seus fãs e levá-los a loucura, enquanto embarcamos com a autora em uma busca desenfreada pelo assassino, ao mesmo tempo que conseguimos aquecer nossos corações com o romantismo que é presença constante nesse enredo cativante.

"No momento, seu foco era Naomi. Então observaria por um tempo, acabaria com sua cerveja, deixaria uma gorjeta decente. Ninguém se lembrava dos caras que deixavam gorjetas decentes, apenas dos que deixavam muito ou pouco.
Depois, tinha coisas a fazer. Aquela seria uma grande noite."


Quem me conhece e sabe que gosto de Nora Roberts, também provavelmente já sabe que dentre as obras que ela lança, as minhas favoritas são aquelas que trazem livros únicos. Então, esse era um daqueles lançamentos bastante aguardados por mim, tanto que assim que ele ficou disponível, corri para adquiri-lo e sem demora comecei a lê-lo. Logo no primeiro capítulo, fui surpreendida, assim como a maioria dos leitores, uma vez que a obra se inicia de uma forma muito empolgante e instigante, apresentando-nos a saga de uma garotinha de doze anos que descobre, da pior maneira possível, que o seu pai é simplesmente um monstro. Esse plote faz com que o leitor crie afinidade com a personagem imediatamente, e que queiramos acompanhar toda a sua história o mais rápido possível, a fim de conhecermos o seu final feliz.

Porém, a descoberta do monstro que é o pai é só o começo de uma saga de dificuldades para a personagem, que, no entanto, é muito independente e que não remói as coisas do passado, e nem se faz de coitadinha ou qualquer coisa do tipo, o que é um de seus pontos mais positivos, e ela vive o que tem a cada dia e luta para fazer do seu futuro um lugar melhor. Mas, não pense que por ter descoberto que o pai é um estuprador e por ter um futuro um pouco difícil, a história traz um dramão, daqueles que nos fazem chorar e nos deixam arrasados. Não... Nora sabe construir boas histórias como ninguém, e elas são sempre abordadas de maneira leve, apesar da intensidade implícita, e faz com que a leitura seja ágil e uma viagem maravilhosa.

O ponto que me cativou, em primeiro lugar, foi a existência de uma personagem com história difícil. Eu sou simplesmente atraída por esse tipo de personagem, então, claro que senti empatia por ela desde o início. Além disso, a história se divide em algumas fases, iniciando-se quando a personagem tem doze anos, depois vemos um pouco de sua vida aos dezesseis, e por fim, aos vinte e poucos anos, que seria o seu momento atual, e, cada uma dessas fases consegue nos cativar de igual maneira, além de fascinar e traz elementos comuns que são como uma magia que nos deixa presos ao enredo. Esses elementos são em primeiro lugar, os personagens secundários que compõem um ótimo enredo e temos inicialmente os tios da protagonista, que sempre a apoiaram, incentivaram e que sempre estiveram presentes para que ela segurasse suas mãos quando tudo ficou difícil, e que foram as pessoas que a salvaram quando se deu a descoberta de quem era o pai dela.  Em seguida, pessoas que ela conhece quando passa a morar em sua nova casa, aos vinte e poucos anos, e que dão um significado todo especial para a palavra amigos, e até mesmo para a palavra família. E, falando em cidade, a cidadezinha para onde Naomi se muda é tudo de bom! Ela é um daqueles lugares onde todos se conhecem, se ajudam e se preocupam, além de ser próxima a uma praia, ela tem a capacidade de nos levar a imaginar cada um dos detalhes descritos, inclusive da casa que Naomi compra, e que parece ser um lugar delicioso de se estar. Outro ponto que se tornou bacana foi o romance, que não é cheio de frescuras e idas e vindas, e traz personagens bem resolvidos e que sabem o que desejam.

Por outro lado, um ponto que poderia ser muito incômodo, mas para mim não o foi, é o fato de que enquanto acompanhamos a descrição da reconstrução da casa que Naomi decide que será seu lar, encontramos várias descrições a respeito da decoração, construção e ideias da personagem. Para alguns leitores, isso pode se tornar incômodo ou até mesmo entediante, mas, eu, na condição de muito detalhista, acabo gostando muito da descrição pois isso me ajuda a visualizar e embarcar melhor na história. Ainda, outro ponto que pode ser contraditório nessa obra e pode levar alguns leitores ao desagrado é o mistério, que surge em mais da metade do livro, e que não é tão instigante ou difícil.

A obra é cheia de personagens marcantes, e um deles é Xander, o protagonista masculino. Roqueiro, mecânico e com outras características que tem o poder de cativar as leitoras, Xander é um daqueles homens que trazem em si um misto de romantismo e ao mesmo tempo dureza e é uma grande fonte de apoio. Naomi, o par romântico de Xander, conforme já mencionado, também não deixa a desejar e vem mostrando toda a sua independência e força, sendo uma personagem feminina digna do rol das que se destacam por serem incríveis. Além deles, outro que me chamou muita atenção foi Mason, o irmão da protagonista, e este se mostrou um personagem digno de receber até mesmo um livro todo para si, o que provavelmente não acontecerá; e também fiquei mexida com Kevin, alguém que surge e se torna presença marcante e até mesmo importante. Ainda, como de praxe nos livros de Nora Roberts, mais uma vez temos a presença de animais na trama, e dessa vez quem rouba a cena é Sombra, um cão abandonado que entra na vida de Naomi para quebrar todas as suas defesas e para protegê-la.

Narrada em terceira pessoa, a obra é dividida em trinta capítulos de um tamanho razoável, e não traz epílogo, o que sempre se torna um dos meus problemas com os livros de Nora, pois sempre fico querendo mais detalhes sobre os finais. Além disso, realizei a leitura em ebook e não há erros a serem destacados.

Recomendo esse livro para aqueles que já conhecem as histórias da autora, pois ele certamente é um dos dignos de serem lidos, ou ainda, é uma ótima dica para quem ainda não a conhece e quer iniciar em seus enredos, pois aqui temos uma história forte e marcante, que é uma boa porta de entrada para os mundos fascinantes que Nora cria.

18 comentários:

  1. Apenas um livro da Nora foi o suficiente para me apaixonar pela escrita da autora, agora tenho mais 4 livros dela na estante, esperando para serem devorados.
    Tenho que concordar que algumas descrições de seus livros são desnecessárias, mas é tudo tão bom que isso não tira a grandeza dos livros dela.
    Não conhecia este, mas vai pra minha lista de desejos.

    Beijos
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Eu nunca li nada da Nora Roberts, pois nunca me senti realmente atraída por seus livros. Esse, por exemplo, nem tinha visto a capa ainda. Gostei bastante dos pontos abordados por você em sua resenha e os seus comentários pessoais me fizeram ver a que leitura tem tudo para ser muito agradável caso eu decida ler. Não farei isso no momento, pois tenho outras prioridades literárias, mas vou deixar a dica anotada e assim que eu quiser ler algo da autora, buscarei por este livro.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  3. Oi Tamara!
    Eu ainda não li nada da Nora Roberts, mas isso se deve um pouco por eu nunca ter encontrado um livro dela que eu me interessasse (e olha que ela tem livros!). Eu não estava sabendo desse lançamento, mas esse até que me despertou a curiosidade.
    Como você, adoro histórias que trazem personagens com vidas difíceis e essa reconstrução da personagem deve ser interessante.
    Quem sabe não conheça a escrita da autora por esse livro?
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Tamara! Não curto tanto assim as histórias de Nora Roberts, mas é bom saber que esse livro seria um bom começo. Em todo o caso, a premissa não me cativou. Quem sabe um dia.
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudi Bem?

    Nunca li nada da Nora. Até tenho muita vontade, mas nunca tive a chance. Agora que recebi um livro dela de parceria Vou poder conhecer a escrita da autora. Estou confiante de que vou gostar. Espero que sim.

    ResponderExcluir
  6. É bem verdade que os personagens dela são marcantes, mas não consigo gostar dos enredos da Nora, já tentei série, livro único, romance, fantasia, mas não funcionou comigo.
    Pelo menos a autora te surpreendeu mais uma vez, e você teve uma boa leitura.

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bom?

    Eu já li alguns livros da Nora Roberts e tenho uma colega que é super fã dela. A escrita dela é primorosa e eu sempre consigo entrar em suas histórias e não largar enquanto não terminar. A história é bem diferente do que eu já li dela, pois normalmente leio romances contemporâneos, mas gostei da premissa. Pensar no trauma que ela sofreu aos 12 anos é algo terrível, mas é bom saber que houve boas pessoas que fizeram parte de sua vida, para apoiá-la em um momento tão difícil.
    O que dizer dessa cidade que eu mal conheço e já considero pacas? rs. Eu amo cidades pequenas e como há pessoas incríveis que realmente se preocupam com os seus vizinhos. Além disso, um romance correto, onde os personagens sabem o que querem, é ótimo. Já gostei do Xander e da Naomi, dois personagens incríveis e possuem características fascinantes.

    Enfim, adorei a resenha e agradeço a indicação :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Olá amore,

    Quando eu era adolescente lia muito Norah Roberts, porque era os livros que tinha em casa pra ler...
    Então posso dizer que ela foi uma das minhas iniciadoras nesse universo mara da leitura.
    Esse não lembro de ter lido, mas já vou anotar a dica por aqui!

    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oie, tudo bom?
    Apesar da resenha ter me agrado bastante, acho que os livros da Nora não me atraem por conta das capas... Muito simples, não me dá vontade de realmente pegar o livro pra ler, sabe? Parece bobeira mas acho que acaba contando muito, rs.

    ResponderExcluir
  10. Oi Tamara,
    quero muito ler esse livro da Nora e já estou ansiosa para conhecer o Xander. Recentemente li um livro que exagerava na descrição e foi um martírio pra mim, até gosto de detalhes, acho que são importantes para nos ajudar a construir um ambiente fidedigno em nossa mente, mas quando começa ficar massante e se estende demais já fico logo incomodada, esse é um ponto que me fez dosar a ansiedade e expectativa para essa história.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  11. OI!
    Eu já tinha visto esse livro por aí mas nunca imaginei que trouxesse uma trama tão forte e 'pesada' como li em sua resenha.
    Eu adoro livros de serial killers, adoro ver esses mistérios sendo solucionados e com certeza eu vou adorar essa leitura também.
    Já vou com certeza adc ao skoob

    ResponderExcluir
  12. Olá! Acredita que eu nunca li nada da autora?! E não foi por falta de recomendações, sempre vejo resenhas positivas a respeito de suas obras. Esse livro, mais do que os outros, me deixou muito instigada, porque faz mais o tipo de livro que me interessa, rs. Sem dúvidas, anotarei essa dica! Adorei conferir suas impressões. Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Também gosto de personagens com histórias difíceis. Parece que isso torna eles mais reais e dá esperança para quem está em ma situação parecida. Além disso é um saco ler um livro onde os personagens são perfeitos...

    beijos
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
  14. Olá,

    Confesso que não sou a maior especialista em Nora Roberts que já existiu, porém o que gosto em seus livros é de como o mistério é previsível, mas que ao mesmo tempo consegue ser instigante, consegue deixar o leitor pilhado. Eu soube desse lançamento, mas nem em meus sonhos eu desconfiaria dessa premissa. Fiquei super curiosa para saber o final desse livro e espero ler logo, logo, pois só de ler sua resenha já fiquei roendo as unhas.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Nunca li nada da Nora Roberts,mas algo nesse livro me chama muito a atenção.Adoro livros que envolve um suspense e romance.
    Irei adicionar a minha lista infinita.
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Acho que sou uma das poucas pessoas que não conhece os trabalhos dessa autora e olha que sempre vejo comentários maravilhosos sobre. Adoro livros repletos de personagens marcantes, sempre fico envolvida na leitura! Enfim, eu agradeço a dica e eu amei a sua resenha ♥

    Um beijo

    ResponderExcluir
  17. Oii!!
    Nunca li nada da autora, mas fiquei interessada nesse livro. É o tipo de história que chama a minha atenção, ainda mais depois de um começo desses. Que terrível descobrir que o próprio pai é um serial killer... Ela foi muito forte e corajosa para denunciar o pai. Fiquei bem curiosa com essa leitura, já acrescentei na minha lista.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Oie!!
    Gentee Nora é a rainha né? Não tem nem o que falar! Não conhecia esse livro dela, mas ja adicionei na minha lista de desejados. Gostei muito da sua resenha e dos pontos que exaltou na sua opinião. O que não foi problema pra você, o excesso de descrição, confesso que pode ser pra mim, mas estou disposta a arriscar.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir