20 outubro 2017

[Resenha] Sorrisos quebrados - Por Sofia Silva



Título: Sorrisos quebrados
[É na escuridão que brilha o amor verdadeiro]
Autor (a): Sofia Silva
Páginas: 240
Editora: Valentina
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon || Submarino || Americanas

Sinopse: Sorrisos Quebrados gira em torno de três personagens: a jovem Paola, a pequena Sol e seu pai, André. Os três são vítimas de violências distintas, que deixaram marcas profundas em cada um. Trata-se de uma história de superação de dores, magia, estrelas e de como importantes laços humanos podem se formar a partir da autoaceitação, da arte e da tolerância no cotidiano.



Paola nunca foi uma mulher que chamasse muita atenção do sexo oposto. Perto de suas amigas ela é aquela que seria última a ser notada, no entanto ela trás consigo um sorriso que ilumina todo seu ser, e foi esse sorriso que atraiu Roberto. Ela se sentia a mulher mais realizada e sortuda por ser a escolhida do homem que todas suas amigas desejavam. Em pouco tempo Roberto demonstrou-se um cara atencioso que gostava de mostrar para todos o quanto amava-a, e com isso, não demorou muito para que se casassem, dando início ao pesadelo de sua vida. Em quatro paredes Roberto mostrou o monstro que sempre foi. Dias após dias Paola sofreu com agressões físicas e psicológicas que a quebraram, apôs seis anos ela resolve que chegou a hora de dar um basta e resolve fugir, no entanto Roberto descobre seu plano, desesperado e enraivecido ele a prende junto com seus Pitbulls que devoram a carne de Paola deixando-a deformada e quase morta.

"- Eu acredito que sou um quadro abandonado por alguém que nunca desejou ser pintor. Alguém me pegou quando eu era uma tela branca e, em vez de me pintar com a suavidade dos pincéis, me feriu com o lado pontiagudo."

Paola sobreviveu e seis anos depois ainda tenta se recuperar e juntar os cacos que Roberto estilhaçou. Traumatizada, deformada e cheia de cicatrizes, a jovem não consegue deixar nenhum homem chegar perto de si pensando que todos podem ser um possível agressor, sua única alternativa foi internar-se numa clínica por conta própria e tentar se recuperar de seus traumas, e nessa clínica conhece a linda Sol, uma menina de 4 anos traumatizada, juntamente com André, seu pai amoroso e atencioso.

"A vida não deve ser medida por 'mais um dia'. Não. Ela é feita de pequenos e efêmeros momentos que mudam tudo."

André vive para Sol e sempre viverá. Ele sabe o que é amar uma pessoa e ver seu coração ser diariamente rasgado em pedaços e infelizmente sua filha foi quem sofreu as consequências. Mesmo com apenas quatro anos de idade, Sol criou um mecanismo de defesa e não consegue estar perto de outras pessoas. Curiosamente, assim que conhece Paola a menina se sente a vontade criando um vínculo instantâneo. Percebendo que a aproximação fará bem para as duas, os terapeutas da clínica aconselham André e Paola a continuarem com as visitas da menina.  Paola fica cada dia mais encantada com a luz que Sol reflete, e André percebe que não precisa ser tão protetor em relação a filha quando está com Paola.

"Ele é o urso dono da floresta, que caminha ferozmente e com cautela, pois já ficou preso em armadilhas escondidas que o feriram gravemente."

Aos poucos Paola começa ver que André é diferente, seu tamanho e músculos poderiam sim destruí-la, no entanto, ele se desmancha ante a presença da menininha de quatro anos. Sol é seu mundo e ele defende a filha com tudo que tem. Isso muda algo dentro de Paola, e aos poucos André começa a quebrar suas barreiras. Ele sabe que jamais conseguirá amar novamente, porém ele vê através das cicatrizes de Paola, sua luz e ingenuidade toca o mais profundo de sua escuridão fazendo-o esquecer todos os problemas. 

"Será que estamos irremediavelmente quebrados? E se sim, qual dos dois está mais?"

Será que Paola e André conseguirão esquecer tudo e todos para se entregarem na evidente química que emana de seus seres?






Sorrisos quebrados definitivamente não foi nada do que eu esperava, e digo isso da forma mais positiva possível. Sofia Silva construiu um enredo sensível e primoroso, não tenho como me referir de outra forma. As cenas são sensíveis, os diálogos são delicados e sutis, e os personagens são inesquecíveis. A maioria das pessoas podem dizer que os protagonistas são Paola e André, eles realmente são, mas quem brilha é a pequena Sol. E como ela brilha...

Logo no prólogo do livro vemos a cena da fuga de Paola das garras de seu marido agressor. Nunca tinha começado um livro com uma carga tão densa e pesada, a cena é forte e choca pois Sofia não fez questão nenhum de suavizar os acontecimentos e nem a forma como Paola fica deformada, e sinceramente, foi necessário. Só através desse prólogo que temos a real dimensão dos traumas que Paola carrega, e como ela tem traumas.

"- Um dia me fecharam num frasco com receio de que eu pintasse o mundo.
- E?
- Pintei o meu mundo no frasco."

Nossa protagonista sofreu e se reclusou em si, e também, na clínica para ter um tratamento. Ela vive com medo de todos os homens e seu primeiro encontro com André foi gritante em todos os sentidos (quem já leu vai entender - risos-). No entanto Paola não deixou que o seu coração fosse destruído, e foi nesse ponto que me afeiçoei a ela. Paola vê o mundo de uma forma diferente, ela enxerga beleza em coisas que a maioria das pessoas consideraria sem graça ou banais. Me lembrou muito uma outra personagem de quem também amo muito, a Kate de Raio de Sol, e, de uma forma com a qual não esperava me peguei imaginando como seria ter uma amiga com a alma que Paola carrega. É claro que ela tem seus momentos difíceis, como também, convive diariamente com olhares para sua aparência danificada, mas tudo isso só mostra o quanto ela é uma grande guerreira.

Já André é o oposto de Paola. Um cara que tem que ser forte, precisa ser forte, mas é fraco. Assim como Paola, ele também viveu dias difíceis com uma pessoa que teoricamente deveria amá-lo, e isso fechou seu coração. Confesso que de primeiro momento não consegui ver nele o cara que poderia curar as feridas de Paola, pois ele possui tantas, ou mais que ela. Mas com uma sensibilidade sem igual, André mostrou através de atitudes quem ele é. Palavras afagam o ego humano, mas atitudes, há... atitudes conquistam e quebrantam um coração. Tudo isso foi demostrado através da dedicação que ele tem com a Sol, dava pra sentir em cada cena o quanto ele faria tudo por aquele pequeno ser humano, e o amor é totalmente correspondido pois Sol ama-o de uma forma diferente.

" - Quando estou com você é como se toda a escuridão que sinto dentro de mim tivesse uma finalidade.
- Qual?
- Ter a capacidade de admirar o quanto você brilha. E, Paola, você é sublime. Ninguém brilha tão intensamente."

Lembra que falei ali em cima que Sol brilhou na estória? Ela é a razão por eu ter gostado tanto do livro, Sol é inegavelmente a melhor personagem de todos os tempos. Toda sua inocência, carisma, sorrisos, e intensidade foram um bálsamo para todos os problemas ao redor. Sol fazia com que cada situação valesse a pena. Não foram os problemas de Paola e André que me fizeram chorar, mas sim o passado que Sol enfrentou. Chorei pela mera ilustração do que a menina passou aos dois anos, e compreendi porque André é possessivo, e a única coisa que quis fazer foi entrar na estória e abraça-la. Só isso, só abraçá-la. Me senti da mesma forma como foi em Raio de sol, jamais entenderei porque coisas ruins acontecem com pessoas boas, e isso é a maior prova de realidade que o livro poderia trazer.

Apesar de ter gostado muito do livro senti que faltou um pouco para se tornar perfeito. Ele é memorável e inesquecível, mas talvez se tivesse mais páginas algumas coisas poderiam ter tido um pouco mais de atenção. O entrosamento de Paola e André foi um pouco prematuro, rápido de mais ante a tudo que nos tinha mostrado até aquele momento, principalmente pela Paola ser tão ressentida com o sexo masculino, acho que faltou algumas cenas a mais do André conquistando sua confiança para depois eles terem uma relação. Entendam, isso não é exatamente um ponto negativo, a relação deles é necessária. Ambos são imperfeitos mas necessários um para o outro, e isso fica bem claro ao leitor. Outra coisa que senti falta foi a abordagem de determinados assuntos  importantes num enredo que trás relacionamento abusivo, como por exemplo, o fato da Paola falar diversas vezes que é fraca por ter ficado num relacionamento abusivo, que é fraca por ter demorado tanto para sair, que a culpa foi dela por não ter saído antes. Senti falta de uma abordagem mais clara mostrando que a vítima não é fraca e muito menos responsável pelas atitudes do agressor. Também senti falta de uma cena que mostrasse como ela foi resgatada e mais sobre a relação que ela tem com os pais depois de tudo. Eles são citados somente num momento na estória, mas não sabemos nada sobre como é a convivência deles.

A edição física do livro é quase uma obra prima. Começamos por essa capa SENSACIONAL. A arte toda trabalhada numa nebulosa mostra a sensibilidade e beleza da protagonista. Internamente o livro é tão belo quanto por fora, vemos algumas ilustrações em cada começo de capítulo como também, alguns dos desenhos que Paola faz. A escrita da Sofia Silva me surpreendeu por ser única. Nunca tinha lido nada descrito com tanta sutileza e sensibilidade, cada palavra foi escolhida a dedo formando uma narrativa quase poética fazendo todo sentido ante a intensidade de seus personagens.

" Eu descobri há meses que onde a Sol dá brilho à um coração machucado, você pinta com tinta própria para a escuridão."

Enfim... ficou grande pra variar né, acho que não sei mais escrever resenhas curtas (risos). Sorrisos quebrados é um livro que deve ser apreciado sem pressa para se degustar cada uma das sensações que ele nos traz. O casal é quase uma força da natureza com ventos fortes e furacões, mas no meio de tudo isso, vemos Sol como o olho que acalma seus interiores. Creio que esse livro não seja para qualquer um, como disse, ele precisa ser apreciado, e creio que pessoas que gostem de um livro real e cheio de drama irá aproveitá-lo com gosto. Mas uma coisa é inegável, Sorrisos quebrados merece ser lido por todos pois mostra a realidade que na maioria das vezes queremos esquecer que existe.




7 comentários:

  1. Eu estou louca para ler esse livro, tenho visto ótimos comentários sobre ele e a cada resenha que eu leio eu tenho a certeza que vou me apaixonar, me encantar pela história. Amei a resenha e poder conhecer um pouco mais sobre a trama.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Stéfani!
    Estou com esse livro aqui pra ler, estava insegura quanto a ele, mas curti bastante sua resenha! Pelo menos já tenho noção do que vou encontrar e acho que vou curtir pacas a leitura!
    Bjos
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho muita vontade de ler esse livro, até tenho ele no meu Kindle. Acho que a história parece ser super bem montada e já li vários elogios sobre a obra.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  4. Este livro está na minha lista de desejos a algum tempo e confesso que o primeiro motivo é a capa linda que ele traz.
    Mas lendo a resenha as coisas mudam, quero ler porque a história parece adorável, linda. Acho que o meu lado materna também fala aqui rsrs

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Gosto quando os autores nos surpreendem! Tenho certeza que é um livro bastante emocionante, e como sou fã de um bom drama, vou querer ler e conhecer os protagonistas, e também porque vi que o livro está sendo mesmo bastante comentado.
    Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ola, só pela sua resenha diz que o livro vai ser bastante intenso e não me lembro de uma resenha dessa livro que me mostrou como o livro vai ser intenso. Ele esta na minha lista espero conseguir essa historia na minha estante

    ResponderExcluir
  7. Oi! Que livro mais lindo! Começando pela capa maravilhosa e a premissa de emocionar qualquer um. Já fiquei ansiosa para conhecer melhor a história dos personagens, e preocupada com a atrocidade que tomou conta de suas vidas.
    Dica anotada!

    ResponderExcluir