06 setembro 2017

[Semana nacional] TOP 5: Motivos pelos quais devemos ler mais literatura nacional



Oi, leitores. Dando sequência a nossa semana nacional, hoje venho falar sobre algo interessante, sobre o qual muitas vezes não paramos para pensar: os motivos porque fazer determinada coisa. Nesse caso, como estamos falando de literatura nacional, eu trouxe então os cinco principais motivos para lermos mais livros escritos por escritores da nossa pátria amada. Espero que algum deles lhes faça refletir e acrescentar mais livros brasileiros a sua lista. Ah, claro, e gostaria que me contassem bons motivos que vocês consideram também para lutarmos cada dia mais pela propagação da nossa literatura.



1. Valorização e livros de qualidade

Um dos primeiros motivos porque deveríamos inserir mais livros nacionais em nossas estantes é a valorização. Sim, a pura e simples valorização, pois temos muitos livros de extrema qualidade, tão bons quanto, ou ainda melhores que os internacionais, mas muitas vezes esses bons nacionais ficam ofuscados por livros internacionais que são trazidos para o país por grandes editoras, que possuem mais possibilidade de fazer marketing ao redor do produto que estão nos vendendo, e consequentemente acabam atraindo mais vendas, enquanto um nacional as vezes não consegue uma editora grande, fica um pouco escondido por não estar em meio a força de marketing e passa despercebido por vários de nós, embora não possamos generalizar isso, é claro. Assim, é importante que procuremos aqueles livros nacionais que também nos atraem, leiamos e passemos a diante a informação de que são bons, ou em que precisam melhorar para ajudar os autores dessas obras a saberem que seus trabalhos estão sendo lidos e que seu trabalho vale a pena.
Mas, fica a questão, não seriam todos os livros que merecem essa divulgação e valorização? Sim, é verdade, mas quando um livro internacional chega aqui, geralmente é porque ele já ganhou certo reconhecimento lá fora, e as editoras brasileiras o compraram com bons feedbacks de muitos e muitos leitores que já o leram anteriormente, mas os brasileiros não, nós somos seus leitores iniciais, nós somos os leitores que conseguem elevá-lo a fenômenos de venda ou a levá-los a ficar encalhados nas prateleiras, por isso é tão importante esse ato de reconhecer e valorizar o que temos aqui.






2. Sensação de se sentir em casa

Precisamos admitir que todas as vezes em que já lemos um livro nacional tivemos aquela sensação familiar de se sentir em casa, não é? E embora gostamos de inovação em nossas vidas, também precisamos dessa familiaridade. Quando o autor brasileiro traz seu cenário para o nosso próprio país, conseguimos nos identificar com tudo o que está sendo falado; reconhecemos os costumes mencionados, e sabemos as letras das músicas citadas, e até mesmo sentimos o gostinho da comida que os personagens estão comendo.  Sim, as vezes nos livros americanos também já conhecemos o que está sendo mencionado, mas quando se passa aqui, pertinho de nós temos aquela sensação de "Eu já vivenciei exatamente isso". Quando é um livro adolescente, certamente o que é mencionado faz com que recordemos nossa própria adolescência; quando é citado alguém no início da vida adulta, sabemos como o protagonista se sentia exatamente, e assim vai. Para exemplificar melhor, quando se menciona adolescentes tirando carteira de motorista aos dezesseis anos de idade, nos livros americanos, isso soa até mesmo bizarro para nós, pois aqui só temos essa possibilidade de fazer isso aos dezoito, e quase sempre já saímos da escola, então para nós, brasileiros, nada de ir para a escola de carro, no máximo iremos de carro para a faculdade, o que também não é tão frequente assim, visto que os custos de automóveis no nosso país não estão dentro das condições mais favoráveis do mundo. Então, sendo assim, com quem você se identifica mais? com o John, garoto americano de dezesseis anos que sai para todos os lugares com o carro que ganhou dos pais, ou o carro que pega emprestado da sua mãe, mesmo que ele seja de classe média, ou com a Marisa, Brasileira, carioca, baiana ou gaúcha, que tem dezoito anos, pega o metrô ou ônibus lotado para ir para a sua aula, mesmo  que tenha acabado de tirar a carteira quando chegou na maioridade?






3. Conhecemos ou vemos os lugares que estão sendo mencionados

Quando você lê um livro que se passa na França, ou na Itália, ou no Texas, você vê a descrição do local, se apaixona por ele, pode até mesmo buscar fotos no google, mas certamente não o conhece intimamente, não é? Mas quando você lê a história de certo personagem, que se passa em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Minas gerais ou em qualquer outro lugar que está dentro do nosso país, imediatamente criamos uma afinidade maior com aquele local, seja por as vezes morarmos lá, ou por talvez ser o local de moradia de um amigo nosso, ou até mesmo por já termos visto aquele lugar tantas vezes na televisão, nos nossos livros escolares ou em outro lugar ao qual temos frequente acesso.  Ou ainda, sentimos que esse lugar está mais ao alcance de nossas mãos, sabemos que podemos fazer uma viagem até lá mais facilmente do que uma viagem aos Estados Unidos, que geralmente são viagens mais caras, que  requerem uma maior preparação. Não, eu não quero dizer com isso que nossos lugares internacionais favoritos dos livros são inalcançáveis, mas quero dizer que os de cenário nacional estão mais perto de nossas mãos.






4. Podemos conhecer a nossa história mais a fundo

Quando lemos livros sobre a segunda guerra mundial na Alemanha, Inglaterra ou Estados unidos, ou até mesmo sobre a independência americana, Ataque as torres gêmeas, dentre outros, nos sentimos tocados e sensibilizados, visto que são acontecimentos que de uma forma ou de outra afetaram-nos também. Porém, quando lemos sobre a história do nosso país, temos a sensação de que estamos lendo ali sobre a nossa origem, sobre aquilo que somos e sobre aquilo que nos tornamos. Quando lemos sobre a independência do Brasil, sabemos que essa ocasião nos afetou intensamente, visto que se fôssemos uma colônia portuguesa ainda, jamais teríamos o crescimento que nosso país tem. Quando lemos sobre a época escravista, e sobre a libertação desses escravos, sabemos que aquilo é a história dos nossos avós, bisavós, e de pessoas que nos geraram. Quando lemos sobre inconfidência mineira, sentimos que aquilo também nos afetou de forma direta, bem como outros milhares de exemplos que poderiam ser dados e que nos remetem a nossa história e a nosso passado mais direto, e claro, nada melhor do que um autor brasileiro descrevendo o cenário que ele mais conhece, pois assim as pesquisas são mais específicas e reais.






5. A possibilidade de ler em nossa língua materna

Um dos maiores problemas dos livros internacionais, é, muitas vezes, a falta de uma boa tradução. Sem desvalorizar o trabalho dos tradutores, obviamente, mas em alguns casos, sabemos que a língua inglesa, e as outras que existem pelo mundo, possuem suas peculiaridades, seus duplos significados, dentre outros, e por mais que os tradutores se esforcem para trazer tudo de forma bastante literal como estava no original, isso nem sempre é possível, até mesmo porque em traduções literais as coisas soariam bem confusas para nós, como por exemplo, na regra do inglês de trazer o adjetivo antes do substantivo, se a tradução fosse feita de forma literal, a frase soaria no mínimo muito estranha. Assim, nossos tradutores se esforçam, mas nada melhor do que ler em nossa língua materna, sabendo o que exatamente  o autor quis dizer com tal frase, conseguindo entender com perfeição a gíria que ele jogou no meio do enredo, e até mesmo no ato de manter nossos costumes gramaticais peculiares.

11 comentários:

  1. Ola flor, o que eu mais amo em nacional é realmente o fato de ser um livro que se passa em um lugar não tão longe! Já li livros que eram na cidade vizinha a minha! Pirei, imagina, mas a mágica é essa! E quando falam um ditado ou sobre algo que você fala no dia a dia, ou fala de uma maneira que você conhece, nossa aí sim é maravilhoso! Você consegue entrar mais ainda naquilo!
    E a valorização dos incríveis autores nosso é um ótimo motivo! Bom trabalho com esse texto! Espero que tenhamos mais leitores de nacionais em breve!
    bjus

    ResponderExcluir
  2. Acho que de todos os motivos listados, o mais forte pra mim ainda é o de ler na nossa língua original, com nossas gírias e expressões que conhecemos tão Quanto aos cenários, nem sempre os autores brasileiros desenvolvem suas histórias no nosso país, e iso me dá uma preguicinha, porque eu amo ler histórias que se passem em lugares que eu conheço ou que a possibilidade de conhecer seja mais fácil. Adorei o post!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, da sua lista, o fato de a tradução não estar muito boa já foi algo que identifiquei em alguns livros estrangeiros que li. A identificação com a vida de adolescentes no Brasil e em países do exterior também foi outra coisa que já senti a diferença.

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Eu simplesmente adorei esse post! Temos tantos autores excelentes no Brasil, não sei porque tantas pessoas relutam em ler livros nacionais.
    Adorei todos os motivos que você citou, principalmente o segundo e o terceiro, porque me fizeram lembrar de coisas que eu vivenciei lendo livros nacionais. Por exemplo, quando li Fazendo meu filme, da Paula Pimenta, eu tinha só dezesseis anos e lembro que foi a primeira vez que li um livro voltado para o público adolescente e consegui me identificar com a trama e os personagens. Era uma realidade muito mais próxima da minha e ainda mencionava vários lugares que eu já conhecia.
    Espero que as pessoas comecem a valorizar mais os autores nacionais, pois existem vários publicando obras incríveis e que merecem ser conhecidas.
    Parabéns pelo post!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oie!

    Eu já li muito livro nacional, que cheguei a deixar de lado meus internacionais, amo tanto um quanto o outro, e sempre divulgo obras nacionais, tem tantas e uma melhor que a outra, que bate um certo orgulho <3

    Bjss, vem participar do nosso sorteio, serão 3 Ganhadores e um levará um livro surpresa da Ler Editorial!
    http://resenhasteen.blogspot.com.br/2017/08/sorteio-do-desapego-3-ganhadores.html

    ResponderExcluir
  6. Olá
    A maior parte de minhas leituras são de livros nacionais. Desde que comecei dar mais espaço a nossa literatura, tenho encontrado livros e autores incríveis. Cada nova história me faz apaixonar e ver aquela frase que só faz sentido aqui faz toda diferença. A gente consome tanta cosia americana que acaba até entendendo algumas gírias e costumes deles, mas quando vem daqui, bem melhor. Concordo com seus motivos. Se não me engano, também tenho uma lista de motivos para ler mais autores nacionais.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  7. Confesso que tinha grande preconceito com livros brasileiros, tirando os clássicos de literatura não lia nada escrito no país. Até me deparar com um livro que li e amei e no final descobri que a autora era brasileira, ai começou minha paixão por livros nacionais como os livros de Geraldo Marques que contam muito sobre essa terrinha tão amada e suas pecularidades. Amei o post achei um super incentivo para as pessoas começarem a ler mais livros daqui. Bjs
    www.diferentesou.com.br

    ResponderExcluir
  8. Parabens pela materia. Gostei bastate. Como leitora adoro o fato de poder ter a proximidade com os autores, discutir com eles suas historias, saber mais dos personagens. Como escritora, adoro tudo isso também. E amo saber que aos poucos estamos amadurecendo nossa escrita, criando historias cada vez melhores.

    ResponderExcluir
  9. Oii
    Concordo com todos os pontos citados, mas infelizmente ainda ficamos com um pézinho atrás quando vamos ler uma obra que não está sendo tão divulgada, ou não aparece nas mídias, já que assim temos poucas informações sobre as mesmas (eu mesma sou assim), mas notei que dê um tempo para cá (talvez uns dois anos) os nacionais estão se espalhando cada vez mais pelas prateleiras dos leitores e eu acho isto ótimo! Torço muito para que os nossos autores continuem crescendo e quem sabe até levem nossas histórias para o mundo.

    Vícios e Literatura

    ResponderExcluir
  10. Amei!!!! Amei!!!! Amei!!! O que mais dizer desse post lindo??? Ler nacional além de todas as razões citadas fomenta o mercado, barateia custos dos nacionais, revela novos autores... Quanto mais valorizamos os nacionais, mais teremos as editoras prestando atenção e lançando eles no mercado!

    Bjos

    ResponderExcluir
  11. concordo com todos os motivos, amo a literatura nacional e estava fazendo uma prévia do que li esse ano e vi que foi mais nacionais, fiquei tão feliz por isso, pela que ainda tem pessoas que não dão valor.

    Bjs
    Suka
    http://www.suka-p.blogspot.com.br

    ResponderExcluir