28 setembro 2017

[Resenha] Dorothy tem que morrer - Por Danielle Paige



Título: Dorothy tem que morrer
Autor (a): Danielle Paige
Páginas: 384
Editora: Rocco Jovens Leitores
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon || Saraiva || Submarino

Sinopse: Primeiro de uma série, Dorothy tem que morrer engrossa um filão de sucesso no mercado editorial, no cinema e na TV: o reconto de clássicos infantis com nova roupagem para os jovens. Nesta releitura sombria do clássico de L. Frank Baum O mágico de Oz, Amy Gumm é uma nova garota do Kansas, que, em meio a um tornado, é enviada à terra de Oz com a missão de remover o coração do homem de lata, roubar o cérebro do espantalho, tomar a coragem do leão e destruir a garota dos sapatinhos vermelhos. Livro de estreia de Danielle Paige, Dorothy tem que morrer chega ao Brasil depois de figurar na lista dos mais vendidos do The New York Times.

Amy é uma adolescente do Kansas que leva uma vida difícil. A jovem foi abandonada pelo pai, e atualmente, sua mãe é uma alcoólatra que não tem condições de cuidar nem de si mesma, quem dirá da filha. As duas moram num trailer velho, e por conta disso e da situação problemática da jovem, não tem amigos e ninguém com quem possa contar. Sua única lembrança boa é de quando a mãe lhe apresentou o filme "O mágico de OZ" e desde então Amy tornou-se fã do universo criado por L. Frank Baum.

"Descobri que eu era um lixo três dias antes do meu aniversário de nove anos - um ano depois que o meu pai perdeu o emprego e se mudou para Seacus para morar com uma mulher chamada Crystal e quatro anos antes de a minha mãe sofrer o acidente de carro,..."
Pag. 7

Numa tarde quando estava em seu trailer, um alerta de tornado é emitido na cidade. Os habitantes já acostumados com falsos alarmes não se importaram, no entanto dessa vez era real. Amy não teve tempo de ir para um lugar seguro, e assim, ela, seu trailer e a camundongo da mãe foram levados para longe. Quando desperta Amy sente que está no meio de uma grande piada, ela fora transportada para o lugar de seus maiores sonhos: Oz.

"Bom, eu queria ir embora. Queria isso desde que soube que havia algum lugar para ir. Eu queria outros lugares, outras pessoas. Outro eu. Queria deixar tudo e todos para trás."
Pag. 24

Não demora muito e a jovem percebe que Oz está diferente daquilo que ela passou a infância lendo nos livros e vendo em filmes. Oz está sombria e devastada. Aos poucos ela passa a conhecer alguns habitantes, e em pouco tempo descobre porque o mundo ficou assim, ou melhor, quem o deixou assim: Dorothy.

"- Me diz só uma coisa - pedi a ela, virando para trás. Ela deu de ombros sem se comprometer. - As pessoas de onde eu vim fam de Oz. Ovi façar deste lugar a vida inteira. Mas isso está uma bagunça. O que aconteceu?
- Dorothy aconteceu - respondeu ela."
Pág. 41

A história não acabou da forma como L. Frank Baum escreveu. A jovem Dorothy voltou para o  Kansas e descobriu que o "não há lugar melhor que o nosso lar" não há satisfazia. Em Oz ela era conhecida, e em casa ela era só uma garota pobre. A jovem voltou para Oz, tornou-se princesa do povo, e com a ajuda da bruxa Glinda, aprendeu a usar magia tornando-se a pessoa mais poderosa de Oz. O poder logo subiu a sua cabeça e querendo cada vez mais controle, Dorothy escravizou o povo. Seus fieis aliados a seguiram, no entanto eles também mudaram. O leão tornou um assassino que devora as pessoas e alimenta - se de seus medos. O homem de lata anda por Oz fazendo as leis de Dorothy serem cumpridas e o Espantalho é um cientista maluco que faz experiências em pessoas tirando a inteligência delas. No entanto, nem todos aceitaram o destino de Oz.

"Gosto de pensar nesse projeto como meu pequeno plano Vire bruxa rápido. - Ela riu da própria piada."
Pag. 137

A ordem revolucionária dos malvados se levantou contra tirania de Dorothy, e com a ajuda do feiticeiro Nox, Amy precisa treinar e se tornar forte para cumprir seu papel e libertar Oz: Roubar o coração do homem de lata, o cérebro do espantalho, a coragem do leão, e por fim, matar Dorothy.





Amo recontagem de histórias que todo mundo conhece de cabo a rabo. Oz é um exemplo clássico de histórias que as pessoas conhecem mesmo sem nunca ter lido os livros, ou visto uma das inúmeras adaptações feitas ao longo dos anos. É de conhecimento geral a história da menina que é levada por um tornado e cai em Oz onde conhece seus amigos Espantalho, Leão e Homem de Lata. Quando vi Dorothy tem que morrer, logo de cara fiquei curiosa por ter um título tão afirmativo. A primeira coisa que veio em minha mente foi: Por que a menina que salvou Oz tem que morrer?. Danielle Paige fez acontecer algo que há muito tempo não me acontecia. Me surpreendeu!


A primeira coisa que precisamos ter em mente é que Oz não é da forma como o autor L. Frank Baum escreveu. Danielle Paige criou um mundo com todos elementos distópicos que fazem as grandes séries se tornarem famosas. Temos uma tirana fria e opressora, um povo oprimido querendo se libertar e uma suposta salvadora. Lembram-se de alguns livros? Mas a grande sacada foi justamente a desconstrução daquilo que todo mundo já conhece. Oz está totalmente devastada e sombria, mas assemelha-se com um cenário digno de bons filmes de terror. É sensacional ver em choque todas as imagens que criamos ao longo dos anos com a história original. Os bonzinhos se tornam vilões, e os vilões expões suas humanidades revelando que maldade é só uma perspectiva de vista. O seu bom, pode ser o mal de outra pessoa, e vice versa.


Outro ponto que foi positivo, e que a primeira vista pode parecer negativo, é a semelhança da trajetória de Amy com Dorothy. O povo de Oz acredita que assim como foi com Dorothy, Amy caiu do céu para libertá-los novamente. Ela é aclamada e faz aliados em sua jornada. No entanto Amy é completamente diferente de sua antecessora. A jovem sofreu muito e isso lhe trouxe algumas marcas que fazem com que ela não seja tão pura e ingênua como Dorothy foi. É um contraste gritante se pararmos para pensar, mas em nada Amy deixou a desejar no quesito coragem. A parte do treinamento que obteve foi o mais arrastado da história, no entanto é crucial pois molda algumas questões para a personagem, como por exemplo: Quem é realmente do mal? Quem a levou para Oz? Por que matar a Dorothy? e várias outras. Sua missão é o inverso daquilo que Dorothy fez. Ela deve tirar a coragem do leão, o cérebro do espantalho, o coração do homem de lata, e por fim, matar Dorothy.


Quanto aos outros personagens preciso dizer que mesmo já os conhecendo, eles são únicos. No começo da história ficava me perguntando se eles de fato seriam tão ruins quanto falavam, e fiquei surpresa de ver que realmente eram ainda mais do que imaginava. Outros personagens icônicos como o Totó, o mágico e a bruxa boa do norte também aparecem trazendo ainda mais surpresas. Quanto aos novos podemos destacar os membros da ordem dos malvados, e em especial Nox. Ele ajuda Amy nesse processo, e acabam por ter um envolvimento romântico, pra mim esse foi o ponto negativo da história. Achei que foi um pouco forçado e fora de hora. Talvez se a autora tivesse deixado pra desenvolver mais pra frente poderia ter sido mais interessante. Mas se deixar de lado isso, Nox é puro amor e ganhou meu coração.

A escrita da autora é sensacional e em nada deixa a desejar. Ela sabe exatamente como conduzir o leitor para onde quer, e quando estamos próximos das conclusões finais é impossível não segurar a emoção. A edição física está M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A. Amo essa capa e fico feliz de terem mantido a original. Internamente a diagramação está impecável com folhas amareladas, fonte confortável, e espaçamentos bem distribuídos.


Dorothy tem que morrer é um livro sensacional que me conquistou desde as primeiras páginas. É sensacional vermos os personagens tão sólidos em nossas mentes serem desconstruídos com tamanha maestria e ainda despertar novos sentimentos. Confesso que não consegui odiá-los completamente, afinal, é bom ter esperança de vê-los bons novamente. O livro é o primeiro de uma trilogia, e aguardo ansiosamente para saber como prosseguirá aquele final maravilhoso

15 comentários:

  1. Oi. Eu amo recontagem de histórias também e achei essa bem diferente não somente por ser inserida no mundo de Oz ( história da minha infância) como achei interessante essa mudança dos personagens bonzinhos que já conhecemos terem se transformado nos vilões do livro. Nem da para imaginar o leão, o homem de lata e o espantalho tão malvados assim.
    Adorei a premissa e vou deixar anotado nas minhas dicas de leitura.
    bj

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bom?
    Sou apaixonada por contos de fadas e também por recontagens! Adorei a premissa desse livro, de continuar a história que conhecemos em O mágico de oz, com uma outra roupagem e agora com Dorothy dominada pelo poder. Não consigo imaginar os companheiros de jornada dela tão malvados assim,mas acho que vou ter que conferir né? rs
    Amei a resenha e suas impressões de leitura! Espero gostar tanto quanto você quando conferir a obra!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  3. A forma empolgada que você usou para descrever o livor me deixou master curiosa, porque sempre ouço elogios para com o autor e outros livros parecidos dele, mas é a primeira vez que me deu vontade d eler mesmo.
    adorei!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi, adorei sua resenha e a ideia do livro. Não sou muito fã de OZ, mas gostei dessa versão que o autor parece ter criado. A capa está sensacional, adorei as suas fotos. Acabei de colocar na lista, Bjs Tell me a Book

    ResponderExcluir
  5. Oi, Stefani!
    Dorothy Tem que Morrer parece ser uma releitura incrível, sua empolgação durante a resenha foi um fator muito importante para despertar a minha curiosidade haha (até porque, como você mesmo disse, é uma história tão conhecida que quando aparecem releituras a vontade de conferir acaba passando...). Enfim, adorei a resenha e recoloquei esse livro na minha lista!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi. :)
    Cresci assistindo O Mágico de Oz, e essa nova "adaptação" me pareceu bem fascinante.
    A capa chama a atenção e a sinopse ainda mais.
    Simplesmente a dica foi recebida e aceita! Preciso ler esse livro.
    Blog As Meninas Que Leem Livros - Lauri Brandão

    ResponderExcluir
  7. Sabe que eu nunca assisti ou li O Mágico de Oz? Numca foi uma história que me atraiu... o mais próximo que eu cheguei foi daquele filme dos trapalhões! Hahaahha
    Eu gosto bastante de releituras e essa autora foi bem ousada pelo que pude perceber. Interessante ela ter transformado Dorothy em uma tirana... quem apostaria nisso? Hahahaha
    Acho que não leria, mas que bom que você curtiu!

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bom?

    Adoro reconstruções e modernizações de histórias clássicas, principalmente daquelas que permearam durante a nossa infância. Como será que elas seriam contadas no mundo atual?
    Adorei sua resenha! Eu tinha visto essa obra em uma livraria e fiquei curiosa já que, como você disse, tem um título tão afirmativo. Também me questionei: "Por que a menina que salvou Oz tem que morrer?". É uma boa maneira que a autora teve para reconstruir essa história, partindo do final da narrativa que já conhecemos, mas modificando algumas ideias originais.
    É uma pena que ela pecou na hora do romance, fazendo o mesmo ser levado de uma maneira não tão natural, mas fico feliz de saber que isso não atrapalhou completamente a história e que você gostou do livro.
    Acho que esperarei lançar o restante da trilogia antes de começar a ler, já que tenho casos sérios de ansiedade esperando os novos livros chegarem para saber como terminará.

    Obrigada pela dica, já adicionei na listinha.
    Abraços.

    https://instantesmemoraveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Não sou a maior fã de livros assim, sempre me pego comparando e acaba ficando cansativo, mas eu gostei bastante da premissa, vou colocar na lista de leitura e quem sabe futuramente eu não leia. PS: Parece que para dar certo toda história precisa de romance, eu adoro mas tem contextos que não ajudam e o autor sisma que vai acontecer e estraga uma coisa que poderia ser 100%.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá! Diferente de você eu não gosto muito de recontagem de histórias, não odeio porque algumas realmente conquistam, mas sempre fico com um certo receio antes de embarcar em uma recontagem. Mas eu fiquei bem feliz que você gostou e o seu post me deixou bem curiosa por sinal, acho que irei aceitar sim a sua dica ♥

    um beijo

    ResponderExcluir
  11. A Rocco consegue publicar livros bons para o lado da fantasia e eu não curto muito o mundo do mágico de Oz por isto não sei completamente da história, mas lembro de ter assistido quando criança várias vezes, mas não lembro como termina. Mas gosto quando tem uma versão diferente e mais obscura.

    Greice

    Blogando Livros

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Achei a premissa super interessante, sem falar que sempre gostei do clássico O Mágico de Oz. Com certeza adoraria ler essa releitura! Amei as fotos e o trabalho da editora está muito bom!

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Adoro releituras, e quando elas possuem um ar bem diferente da original são ainda mais interessantes.
    Fiquei bem curiosa com esse livro, pela sua resenha deu pra perceber que é uma ótima leitura e que vai prender o leitor do início ao fim.
    Com certeza é um livro que quero ler pra ontem

    ResponderExcluir
  14. Olá,

    Também gosto de adaptações, porém nunca li O mágico de Oz e também não me sinto tentada a ler esse clássico. Enfim, eu gosto de distopias e faz um tempo que não leio uma, então, de cara me senti interessada por esse livro, e seus comentários sobre a obra me deixaram ainda mais empolgada.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Eu sou apaixonada pela história do Mágico de OZ e eu amo releituras, então é lógico que fiquei interessada por essa história. Principalmente por envolver a magia, com uma pegada distópica, esse livro deve ser sensacional! Eu ainda não tinha ouvido falar, mas com certeza já estou louca para ler e já coloquei na minha lista de desejados! Obrigada pela dica!
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir