18 agosto 2017

[Resenha] Uma semana de inverno - Por Maeve Binchy



Título: Uma semana de inverno
Autor (a): Maeve Binchy
Páginas: 362
Editora: Bertrand Brasil
Skoob || Compre || Encontre

Sinopse: O último livro da autora best-seller de Coração e alma e À espera de Frankie.
Quando Chicky Starr decide restaurar a velha Casa de Pedra, situada no alto de um penhasco na costa oeste da Irlanda, e transformá-la em um hotel, todos pensam que ela enlouqueceu. Mas, com uma reforma para proporcionar à casa lareiras, quartos elegantes e uma aconchegante cozinha, não demora muito para Chicky estar pronta para receber seu improvável primeiro grupo de hóspedes.
Winnie e Lillian não se dão bem, mas se veem forçadas a passar férias juntas; John, astro de filmes norte-americanos, pensa que chegou despercebido; o casal de médicos Nicola e Henry, estão fartos das mortes que presenciaram; Anders odeia ter que herdar os negócios do pai, mas possui um talento nato para a música; a Srta. Howe, uma gélida professora aposentada, parece não gostar de nada; os Wall estão desapontados por terem ficado apenas com o segundo lugar em um concurso valendo uma viagem a Paris; e Freda, a bibliotecária, está com medo dos próprios dons psíquicos. Dividir “Uma Semana de Inverno” com personagens tão envolventes e improváveis será puro deleite.

"— É que isso simplesmente não é o que pensei que faria na vida — confessou ele.
— Também não é o que pensei que faria na minha vida, mas, em algum ponto ao longo do trajeto, temos de pegar o que temos e fazer o que dá.
— Pelo menos a sua má sorte não foi por sua própria culpa — disse Rigger.
— Sob alguns aspectos, provavelmente foi. — Ela desviou o olhar.
— Mas o fato de seu marido morrer e tudo mais... não se pode culpar você por isso.
— Não. Você tem razão."

Chicky é uma garota de vinte anos, proveniente de uma família grande e de uma terra a qual ama muito, Stoneybridge, o lugar que chama de lar e onde pretende permanecer. Porém, seus planos são rapidamente modificados  quando aparece em sua vida um americano, Walter Starr, que está viajando pela Irlanda. Logo, o sedutor viajante com suas atenções e com suas investidas faz com que Chicky se apaixone por ele, e a convence a largar toda a sua vida para segui-lo até Nova York, prometendo-lhe casamento e muitas outras coisas. A garota, ingênua e deslumbrada, logo faz o que lhe é proposto, e mesmo com todos os protestos de sua família, vai embora. Porém, poucos meses depois Chicky vai percebendo que Walter não é, nem de perto, aquilo com o que ela sonhava. E logo, surge-lhe uma grande surpresa: Walter a deixa, e parte sozinho. Atônita, e sem saber o que fazer, ela encontra um emprego do qual gosta muito. Porém, certo tempo depois, em uma de suas visitas a Irlanda, Chicky não consegue mais manter as desculpas que criava para os pais a respeito do "Marido ausente", e então, declara que ele morreu, e mais, declara também que está voltando para sua terra natal, com o intuito de abrir uma pousada, em uma casa de pedra onde ela amava brincar quando era criança.

"Winnie, entretanto, já não se preocupava mais com o que qualquer pessoa pensasse. A Sra. Starr era uma hoteleira, uma proprietária de terras e mulher de negócios. Tinha pouco tempo para especular sobre a dupla estranha que chegara na condição de primeiras hóspedes.
Winnie se sentiu deslizando para o sono. Ouviu o murmúrio de conversas no andar de baixo, enquanto novos hóspedes eram recepcionados. De alguma forma, era reconfortante. Seguro, como o lar costumava ser anos e anos antes, quando sua mãe estava viva, e a casa, cheia de irmãos e irmãs, chegando e saindo.
A Sra. Starr dissera que tocaria o gongo Sheedy vinte minutos antes do jantar. Aparentemente, as três irmãs Sheedy, que tinham vivido numa pobreza aristocrática na casa durante muitos anos, sempre tocavam o gongo, todas as noites. As damas muitas vezes comiam sardinhas ou feijões cozidos sobre torradas como refeição da noite, mas o gongo sempre soava pela casa. Era disso que sua mãe e seu pai teriam gostado."

A princípio, todos pensam que essa mais uma vez é uma das ideias malucas de Chicky, como fora aquela de no passado fugir com um americano desconhecido e todos tem plena convicção de que não dará certo.  Porém, a mulher trabalha duro, e logo, transforma o velho lar das irmãs Sheedys em uma bela casa de pedra, e está pronta para seus primeiros hóspedes. E para a semana de inauguração, as reservas se mostram as melhores possíveis, e logo, chega o primeiro grupo de hóspedes, que é bastante improvável, e cada um traz uma história de vida, como John, um ator que usa um nome fictício e pretende fugir um pouco de seu mundo glamoroso, Freda, uma moça com alguns pontos de sua personalidade que a incomodam; Winnie, uma enfermeira que procura o amor, e Lillian, uma pessoa que vem atrapalhando as buscas de Winnie; Henry e Nicola, um casal de médicos bastante apaixonados mas que procuram fugir por algum tempo de tudo o que viram e viveram nos últimos tempos; Os Wall, um casal de meia idade que vive em busca de novas aventuras; Nell Howe, a diretora aposentada de uma escola, que vive de mal humor; Anders, um rapaz que vive sob a pressão de assumir a empresa da família, além de Rigger e Orla, duas pessoas que por motivos diversos são levados a trabalhar em meio a esse improvável grupo e fazem parte da construção dessa linda história da nova casa de pedra

"Foi pegar outro café para tomar. Esse tipo de liberdade era novo para ele. Escapara da reunião que tanto temia. Agora podia fazer o que quisesse sem consultar domador, gerente ou agente algum. Estava verdadeiramente livre.
A companhia aérea lhe fizera um favor.
Mas para onde iria? Talvez devesse comprar um guia turístico ou encontrar uma agência. Em cima das mesas ao redor, havia vários folhetos oferecendo sugestões do que fazer na região. Havia um banquete num castelo medieval. Uma excursão para um rochedo espetacular chamado Moher, que se dizia ser uma das Maravilhas do mundo. Havia pacotes de golfe. Nada disso atraiu Corry.
Uma pequena folha, entretanto, anunciava “Uma Semana de Inverno” e prometia uma casa calorosa, acolhedora, além de quilômetros de areia, rochedos e pássaros selvagens. Ele ligou para o número a fim de saber se havia vaga."

Através de uma trama extremamente cativante, personagens intrigantes e um cenário no qual conseguimos nos imaginar, Maeve Binchy nos transporta para a casa de pedra e nos faz viver a história de cada uma dessas pessoas.

"Não era exatamente romance e poeira de estrelas borrifada por cima de tudo, como magia, era algo mais profundo, como uma noção de importância e uma grande sensação de paz."





Essa é, certamente, uma das histórias mais leves e gostosas que li nos últimos tempos, e me pergunto porque não havia a lido antes, pois ela já estava na minha lista há um certo tempo, e eu tinha plena convicção de que seria algo que eu gostaria, porém, só decidir começá-lo bem recentemente, quando estava fazendo uma outra leitura bem arrastada, e então encontrei uma resenha que elogiava essa obra. Então, resolvi começá-lo, e disse a mim mesma que ia lê-lo em paralelo com o outro livro que já estava em andamento. Porém, mero engano, eu só consegui largar Uma semana de inverno na hora em que virei sua última página, e confesso que até agora estou sentindo saudade daqueles personagens tão cativantes, e, embora eu não goste de séries, admito que nesse caso, eu gostaria de ter pelo menos mais uns dez livros que trouxessem a história dos hóspedes da casa de pedra e das pessoas que trabalham lá.

É preciso saber, antes de começar essa leitura, que este não é um livro extraordinário, daqueles cheios de reviravoltas e que nos surpreendem no final. Pelo contrário, aqui, encontramos uma história que fala de pessoas, e de como eles conseguiram de certa maneira um lugar que lhes fizesse sentir mais em paz consigo mesmo e também que lhes desse uma fuga do mundo comum, para colocarem suas vidas em perspectiva. Também, é uma história gostosa, daquela que nos deixa com uma maravilhosa sensação ao final, percebendo que todas as pessoas tem problemas e que na maioria das vezes, há alguma solução a ser encontrada.

Um dos pontos que mais considero atrativo nessa história é o cenário, que é a Irlanda, mais propriamente Stoneybridge, uma pequena cidade onde todos se conhecem, se ajudam e também sabem tudo uns da vida dos outros e a casa de pedra onde tudo se passa, que parece um lugar totalmente aconchegante, daqueles nos quais temos vontade de ter chocolate quente, um livro e ficar lá para sempre. Também, achei muito instigante a forma como o livro foi construído, narrando a história de cada personagem, abordando o passado deles, e o que lhes levou até aquele lugar, e toda essa narração é feita de uma forma tão leve que parece que estamos ouvindo a história sentados entre amigos em torno de uma fogueira, e, ainda mencionando a narração, achei muito boa a forma como descobrimos a história de cada pessoa, sendo que nada é muito mirabolante, e todos tem problemas ou impasses que bem poderiam ser os nossos próprios, fazendo com que consigamos imaginar tudo com perfeição.

Eu não encontro pontos propriamente negativos a destacar. Apenas dei quatro estrelinhas para o livro pois algumas histórias dos hóspedes não me fascinaram tanto, e também porque de certa maneira fiquei querendo um epílogo, que não veio, mas são todas questões de preferências que não atrapalham nem um pouco no quão bacana é a história.

Quanto aos personagens, cada um tem suas peculiaridades e são cativantes a seu modo. Aqui, temos uma gama bastante grande, pois cada personagem principal que vemos, que são os hóspedes da pousada e os que trabalham lá, trazem outros personagens quando suas histórias são contadas, por exemplo, pais, irmãos, amigos, então seria impossível mencionar todos, ou até mesmo é difícil de lembrarmos de todos. Mas, os que mais me chamaram atenção foram Chicky, a dona da casa de pedra, que tem uma história muito instigante e bonita, e foi a pessoa que mais me deixou a fim de ler um final mais fechado sobre ela. Também há Rigger, um rapaz com um passado um pouco conturbado, e que fica revoltado ao ser mandado para a casa de pedra, naquele lugarejo remoto da Irlanda, mas que depois encontra lá sua felicidade. Mas também, todos os outros hóspedes da casa me marcaram e fiquei desejando ter um livro para cada um deles.

O livro é dividido pela história de cada personagem, e começamos vendo a história de Chicky e como ela construiu a casa de pedra, logo depois vemos a história de Riggie e de Orla, que trabalham na casa, para depois lermos sobre os hóspedes. A narração é toda feita em terceira pessoa, e infelizmente, durante a leitura, encontrei quatro ou cinco frases mal traduzidas, que me deixaram um pouco confusa, bem como alguns erros de ortografia que me incomodaram.

Recomendo essa história para os leitores que procuram livros leves, aconchegantes e de fácil leitura, bem no estilo comédia romântica e para todos aqueles que desejam conhecer uma autora ótima, que já entrou para a minha lista de autores dos quais quero ler muitas outras obras.

20 comentários:

  1. Oi tudo bem?
    Confesso que não conhecia o livro mas me parece ser uma história bem gostosinha e leve de ser lida, quero muito ver o quanto a Chicky vai amadurecer ao longo da história, anotei a dica.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Tamara, ainda não tinha lido nenhuma resenha do livro e pela capa, eu imaginava algo como você descreveu: leve e gostoso de ler. Estou em um momento assim, querendo algo com esta característica. Adorei a indicação.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oiiii tudo bem??

    Este livro está na minha lista a um tempo tbm, e agora estou me perguntando pq não adiantar e ler logo.
    Acredito que por ser leve deve ser um ótimo cura ressaca.
    Pretendo ler logo.
    Adorei a resenha.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  4. Oiii,
    Olha esse é um livro que só vou saber se realmente me agrada, lendo. Essa é a segunda resenha que leio dele e confesso que na primeira não tinha me animado tanto, mas a sua já desperta minha curiosidade. Por ser um livro sem reviravoltas acho que por agora não leria. Pois estou estudando pra concurso e priorizando livros que me prendam mais e as reviravoltas fazem isso comigo.
    Amo a capa desse livro e logo quando ele saiu foi a primeira coisa que me atraiu e olha que nem sabia do que se tratava ainda.

    Bjs,
    Garotas de Papel

    ResponderExcluir
  5. Oi, Tamara!
    Que bom que gostou do livro! Confesso que olhei a capa e achei bem graça, por isso passei sem nem olhar duas vezes para o livro. rsrs...
    Fiquei até empolgada para ler agora. Vou dar uma chance!!
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá
    eu só cheguei a ver a capa do livro e nada mais, e por esse motivo sabia de pouca coisa sobre ela kkk. Depois de ler essa resenha fiquei bem interessado em fazer a leitura. Fico feliz em sabe rque a obra é leve, estou precisando de livros assim. Até mais ver
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oiee Tamara ^^
    Lendo a sua resenha fui me lembrando do livro "A pousada Rose Harbor", mas não acho que as histórias sejam iguais...haha' só me lembrou um pouco.
    Ainda não conhecia esse livro, mas fiquei curiosa para ler, principalmente por saber que se passa na Irlanda. E também me parece ser uma boa história, apesar de não aparentar ter taantas reviravoltas e coisas do tipo.
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, Tamara! Eu adoro livros com cenários na Irlanda! *__* Eu já fui pra lá e alguns lugares são realmente mágicos!
    Em relação à história, eu gostei da premissa, mas é uma pena que não tenha nenhuma reviravolta daqueles de tirar o fôlego no enredo. Em todo o caso, vale como dica de leitura!
    Bjos!
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  9. Só essa capa é uma gracinha, né? Parece ser realmente uma história leve e gostosa de se ler... E da uma preguiça, uma vontade de pegar um chocolate quente e se acomodar numas almofadas, com um cobertor no pé e le-la... hahahahaha. Dica anotada! Bjos

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia o livro, mas estou precisando de uma leitura leve, vou por esse na lista. Sua resenha tá muito bem escrita.

    Beijos
    Suka
    http://www.suka-p.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi,Tamara!
    Adoro suas resenhas.
    Vou ler. Estou precisando de uma leitura exatamente como essa. Sem muito compromisso, leve e solta. E de ganho, a Irlanda como pano de fundo. Com certeza vou gostar. Um abraço!

    ResponderExcluir
  12. Oie!

    Eu amei a capa desse livro, muito fofa. Mas a historia em si não despertou meu interesse, faltou alguma coisa nela que fizesse com que eu quisesse conhecer a historia das personagens de perto!

    Bjss

    ResponderExcluir
  13. Oi, Tamara!
    Histórias que falam das pessoas, de como elas chegaram onde estão, são sempre tão gostosas de ler... A premissa desse livro em questão me pareceu bem simples, mas pela sua resenha deu para perceber que foi um "simples" bem feito, escrito de forma super agradável. E nossa, ter a Irlanda como cenário deve ter rendido boas descrições :3
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem? Sim esse cenário Irlandês é uma das coisas mais bonitas da história. Já li e gostei bastante também. Bom para passar o tempo. Também achei algumas histórias de hospedes medianas e até ruim. Mas sempre teremos pontos positivo e "negativos" em um livro. Adorei a sua resenha <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi tudo bem? Adorei sua resenha,tenho esse livro aqui na minha estante mais não li ainda. A capa é linda e foi o motivo deu ter comprado o livro. Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  16. Oie.
    Esse livro parece ser um amor.Fiquei curiosa <3
    Amo esses livros que a gente só consegue largar ao chegar na ultima pagina, sâo os melhores

    Amei sua resenha

    Beijos
    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
  17. Olá!

    Não conhecia o livro, mas não me chamou tanto a atenção. Parabéns por mais uma resenha super bem escrita!

    ResponderExcluir
  18. Hello!
    I really liked the post hehe, thanks for sharing it. I followed your blog, could you follow me back?
    A hug!.

    ResponderExcluir
  19. Oi Tamara,
    Ainda não conhecia esse livro, mas gostei muito da sua resenha, pois ela está extraordinária em todos os sentidos. Fiquei muito contente por você não ter sentido pontos negativos na trama, à exceção de alguns hospedes não terem te agradado. Eu achei muito legal a questão de os personagens serem peculiares, adoro isso.
    Fiquei curiosa para ler esse livro e conferir se é realmente leve e o que vou achar.
    Beijos,
    http://umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  20. Olá,

    Confesso que não conhecia o livro e nem a autora, eu fiquei com muita vontade de fazer a leitura dele, pois estou em uma fase de ler histórias leves e com ótimo conteúdo. Adicionei na minha lista de desejados e muito obrigado por ter me apresentado a obra! ♥

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir