08 agosto 2017

[Resenha] A luz entre oceanos - Por M. L. Stedman



Título: A luz entre oceanos
Autor (a): M. L. Stedman
Páginas: 368
Editora: Rocco
Skoob || Compre || Encontre

Sinopse: Tom Sherbourne é um homem traumatizado pela sangrenta Primeira Guerra Mundial, que retorna à terra natal, a Austrália, para tentar reconstruir sua vida. Sua busca por paz o leva a ser o mais novo faroleiro de Janus Rock, uma ilha isolada ao oeste da costa australiana. Ele e sua mulher, Isabel, vivem bem, até ela sofrer dois abortos espontâneos e descobrir que não pode ser mãe.
Um dia, um barco naufragado aporta na ilha. Nele, estavam um homem, já morto, e um bebê, ainda vivo. Este fato trágico e inusitado reacende a esperança de Isabel de ter um filho, fazendo o casal tomar uma decisão que marcará suas vidas para sempre. Quebrando todas as regras, Tom não registra o acidente com o barco nem a chegada inesperada daquele bebê. O jovem casal se torna protagonista de um drama moral, numa escalada de eventos com desdobramentos devastadores.
O isolamento proporcionado pela ilha é a proteção do casal do mundo externo. Ninguém praticamente visita o local e, sendo assim, é muito fácil criar Lucy longe dos olhos da comunidade mais próxima. Mas nada dura para sempre, e o afastamento é quebrado quando o casal deve apresentar a filha aos avós maternos e uma cerimônia de batismo é providenciada. Ali, Tom, para sua infelicidade, descobre que sua Lucy tem uma mãe – que jamais se recuperou do desaparecimento do marido e da filha no mar. Tom não quer mais pesos na consciência do que já tem e fica tentado a revelar a verdade. Mas Isabel o desafia e questiona seu amor por ela.

"EM DIAS CLAROS DE VERÃO, Janus parece esticar-se na ponta dos pés. Pode-se jurar que está mais alta acima da água em algumas vezes do que em outras, e não somente por causa da subida e da descida das marés. Ela pode desaparecer completamente nas tormentas, encoberta como uma deusa em um mito grego. Ou em névoas marinhas: ar quente carregado de cristais de sal que obstruem a passagem da luz. Se houver incêndio florestal, a fumaça pode chegar àquela distância, levando cinzas espessas e pegajosas que tingem o pôr do sol prodigamente de vermelho e dourado, e recobrem os vidros da sala da lanterna com uma fina camada de fuligem. Por essas razões, a ilha precisa da mais forte e brilhante luz."

Tom Sherbourne era um ex-combatente da primeira guerra mundial. Após lutar ao lado de companheiros que morreram cedo, e após ser obrigado a matar aqueles que combatiam no outro lado ele se sentia triste e cansado pelo que teve de ver e fazer, então, com  o fim da guerra, ele sonhava somente em ter um bom lugar para poder ficar em silêncio com seus pensamentos e com suas dores. Dessa forma, o rapaz se candidata a um emprego na Lights, empresa que controla todos os faróis existentes na Austrália. Estes faróis são pontos que servem para guiar e iluminar o caminho dos navios tão presentes nos oceanos. Logo, ele consegue o emprego almejado e começa trabalhar como faroleiro substituto, onde quer que precisem dele. Um dos locais para o qual é enviado é Janus Rock, uma ilha isolada a mais de cem milhas de qualquer civilização. Porém, a cidade em terra mais próxima da ilha é Partageuse, e em suas passagens por lá, ele conhece Isabel Graysmark, uma garota ingênua e determinada de dezenove anos.

"Gostaria que você pudesse ver o nascer e o pôr do sol aqui. E as estrelas: o céu fica apinhado delas à noite, e é um pouco como observar um relógio, ver as constelações deslizarem pelo céu. É reconfortante saber que elas aparecerão, por pior que tenha sido o dia, por maiores que tenham sido as dificuldades. Isso costumava ajudar na França. Colocava as coisas em perspectiva - as estrelas já estavam lá muito antes de a humanidade existir. Elas simplesmente continuam a brilhar, não importa o que aconteça. Penso neste farol da mesma forma, como uma lasca de uma estrela que caiu na Terra: ele sempre brilha, independentemente do que esteja acontecendo. Verão, inverno, tempestade, tempo bom. As pessoas podem confiar nele."

Após algumas cartas trocadas e encontros fugazes, Isabel declara que quer se casar com Tom e quer viver na ilha de Janus Rock com ele, ainda mais agora que Tom ganhou o posto definitivo para viver naquele lugar.  Após tentar persuadi-la do contrário, pois Tom acha que Isabel não sabe onde está se metendo, ela insiste, e apaixonados, ambos se casam. A princípio a vida na ilha é feliz. Com um silêncio eterno, um lugar que parece feito de conto de fadas por estar longe dos problemas e das mudanças e um amor avassalador, Tom e Isabel passam os dias se conhecendo e construindo uma vida para si. Porém, o maior sonho da mulher do faroleiro é ter um bebê, e, logo esse sonho começa a se realizar, quando ela se descobre grávida. Porém, alguns meses depois Isabel tem um aborto espontâneo, e a ele, seguem-se mais dois, que devastam a feliz Isabel e que parecem tirar a cor de seus dias que passam a ser tristes e cheios de dor.

"- Estou sugerindo bondade. Só isso. Amor por um bebê. Estou sugerindo, querido - ela apertou as mãos dele com mais força -, que a gente aceite este presente que nos foi enviado. Há quanto tempo queremos um bebê, rezamos por um bebê?
Voltando-se para a janela, Tom colocou as mãos na cabeça e começou a rir, em seguida estendeu as mãos para o alto num apelo.
- Pelo amor de Deus, Isabel! Quando eu contar a eles sobre o sujeito no barco, por fim alguém vai saber quem era ele. E descobrirão que havia um bebê. Talvez não imediatamente, mas com o tempo...
- Então, eu acho que você não devia lhes contar."

É dessa maneira que em um dia, enquanto Isabel cuida da cruz de um dos fetos que Pariu, que ela começa a ouvir um choro de criança. A princípio, imagina que sua mente está lhe pregando uma peça, mas logo, Tom também o ouve e ambos descobrem um barco à deriva que apareceu na ilha, e para seu espanto encontram nele um bebê enrolado em um cardigã feminino, e um homem já morto. Sabendo de seu dever, Tom logo quer chamar socorro e reportar o acontecimento ao livro de registros o mais rápido possível, mas a esposa o convence de que a menininha precisava de um lar, e após adiarem os registros por alguns dias, o casal resolve ficar com a criança, que declaram para os que estão em terra que é o bebê que Isabel Pariu. E assim a vida segue. A felicidade parece plena agora, mas as ondas da vida logo trazem a verdadeira história daquele bebezinho e o casal, em desespero, não sabe como prosseguir, e se questionam se o melhor é revelar o que fizeram no passado, ou se devem manter aquele segredo para sempre, construindo um novo futuro e afetando o de outras pessoas.

"- Nunca se pode realmente falar do futuro, se pensar bem. Podemos apenas falar do que imaginamos ou desejamos. Não é a mesma coisa."

Com um enredo belo, que traz questões éticas e morais que nos fazem refletir, M. L Stedman apresenta-nos uma história única, que fica pipocando em nossa mente até o virar da última página e por muito tempo depois disso.

"Vivemos com as decisões que tomamos, Bill. Isto é coragem. Aguentar as consequências de nossos erros."







A luz entre oceanos é um daqueles livros que quando eu li a sinopse pela primeira vez me interessou e então adicionei a minha eterna lista de leituras, mas não tinha, necessariamente, um desejo forte de lê-lo. Então, no ano passado, ouve um certo burburinho em torno dele, devido ao lançamento de uma adaptação deste para   o cinema, e encontrei várias resenhas bem positivas. Porém, só agora que escolhendo o que ler, me deparei com ele e resolvi que seria o escolhido. E admito que valeu muito a pena ter realizado essa leitura, e foi uma surpresa, após uma temporada de leituras fracas que fiz.

Confesso que já fui sugada para o livro nos primeiros capítulos, uma vez que nas primeiras páginas a autora nos mostra a chegada daquele barco na ilha, e só em seguida que começa apresentar-nos o capítulo 1, mostrando o passado de Tom e Isabel, então, isso nos deixa intrigados para saber o que acontecerá com aquele bebezinho inocente e com o desejo de Isabel de ser mãe. à medida que fui evoluindo na leitura, cada vez mais me apegava a cada um daqueles personagens, tão humanos e cheios de defeitos, e  queria saber qual seria seus destinos, ao mesmo tempo que sentia receio por cada um deles e uma certa vontade de protegê-los das coisas trágicas que os esperavam.

Porém, devo alertar a quem pretende lê-lo que não é um livro fácil. Trazendo um dilema ético e moral, somos tragados para o conflito, e em vários momentos, assim como os personagens da obra, também nos questionamos o que seria o correto a se fazer, principalmente por envolver uma criança que tinha seu destino inteiramente nas mãos daqueles adultos que só procuravam fazer o melhor. E seguindo na linha desse dilema ético, eu posso dizer que o final foi o ponto que mais foi conflituoso para mim, e agora, dias depois do término, não consigo ter certeza se ele me agradou totalmente, mas a minha conclusão principal é que eu gostaria que algumas coisas tivessem sido diferentes, mas isso não deixa o livro ruim ou tira algo de sua beleza, pelo contrário, o deixa ainda mais vívido, realista e doloroso. E falando em doloroso, é um livro que nos arranca lágrimas. Talvez os mais sensíveis chorem em diversos momentos do livro, pois eu senti esse desejo também, porém, o que me arrancou muitas lágrimas foi o final, sobre o qual já divaguei. Além disso, ele não é um livro carregado de ação, embora traga várias reviravoltas um tanto inesperadas, mas deve-se saber que é um livro que trata de famílias, de vidas humanas e de decisões, não havendo espaço para tanta ação, podendo até mesmo ser definido como um enredo por vezes melancólico. Mas, mesmo com isso, não considero que nenhum destes tenha sido pontos negativos para mim, mas para os leitores que não se identificam com os fatores mencionados acima, e preferem livros com finais plenamente felizes, ou com mais ação e com enredos mais alegres, essa pode não ser uma recomendação de leitura interessante.

Mas, é extremamente necessário falar dos pontos que tornam esse livro especial. Em primeiro lugar, achei-o incrível por trazer uma originalidade ferrenha em todo o seu enredo. Eu jamais havia ouvido falar de algo parecido, e acredito que o modo como a autora trabalhou tudo foi surpreendente, tanto para aqueles que amarem o livro, ou até mesmo para aqueles que o detestarem, pois estes provavelmente não conseguirão negar os méritos da autora de ter criado algo singular. Além disso, ela aborda dilemas bastante difíceis, mas que ao mesmo tempo são passíveis de acontecer com qualquer um de nós, o que nos permite o tempo inteiro nos inserir no lugar daquelas pessoas e tentar imaginar o que faríamos no seu lugar, embora a cada momento que nos é apresentado um lado da história, mudamos de opinião em relação ao que seria certo, e finalizamos ainda sem qualquer certeza. Além disso, todos os sentimentos descritos são bastante vívidos, tanto os de Tom em relação a tudo o que seu passado na guerra lhe causou, até os sentimentos de dor de Isabel devido aos sucessivos abortos, e depois em relação a possibilidade de perder sua filha. Também, é muito interessante de se acompanhar a época em que tudo se passa: começando no ano de 1919 e indo, no último capítulo a trinta anos a diante, conhecemos uma época diferenciada, com costumes diversos do nosso, e de certa maneira é uma época mais calma, que se passava mais lentamente e não trazia em si a pressa que está implícita nos nossos tempos atuais; eu sinto que essa época onde se passa a obra nos deixa suspensos no tempo, como se pudéssemos literalmente revisitar o passado e estar lá. Cabe ainda um destaque para o cenário que foi muito bem descrito, e tanto o farol quanto a ilha onde a maior parte das cenas se desenrolam, são lugares pitorescos, únicos e que trazem uma beleza um tanto melancólica e solitária, e fiquei imaginando durante todo o tempo como seria estar lá, em meio a todo aquele silêncio e a imensidão do oceano.

Eu não consigo dizer que amei ou odiei os personagens, pois em vários momentos eu sentia raiva de suas atitudes, mas no seguinte, os compreendia e os adorava. Entre  eles, a minha favorita é certamente Lucy, uma menininha inocente que não entende o que se passa ao seu redor, e que tem as decisões de sua vida nas mãos de pessoas que em alguns momentos não colocam suas necessidades acima de todas as outras coisas. Também há Isabel, uma mulher forte, e que ama, acima de tudo, e que está disposta a fazer o que estiver a seu alcance para proteger e cuidar desse amor, o que muitas vezes não segue o que é correto.  Isabel foi alguém de quem gostei, durante todo o livro. Já outros personagens tiveram diversas atitudes que me deixaram um pouco frustrada, sendo Tom um destes personagens, e seus arroubos de consciência as vezes se tornaram prejudiciais e o levavam a cometer atos impulsivos. A segunda personagem que me irritou, talvez ainda mais intensamente do que Tom foi Hannah, alguém que surge na metade do livro e que mesmo estando com todo o direito de fazer o que fez, me deixou frustrada por seus modos de pensar e de agir, bastante inflexíveis, mas somente após uma leitura do livro é que o leitor conseguirá compreender do que estou falando.

O livro é dividido em trinta e sete capítulos de tamanho razoável, e a narração é toda feita em terceira pessoa. Durante a minha leitura, que foi realizada em ebook não encontrei erros. É preciso ainda mencionar que essa obra foi lançada inicialmente no ano de 2013 no Brasil, pela editora Rocco,  e três anos depois, no ano de 2016, foi adaptado para o cinema, estreando então no país em novembro do mesmo ano, sendo que nessa época a editora relançou a obra, com a nova capa, seguindo agora a imagem que se apresenta nos cinemas.

Recomendo essa obra para os leitores que gostam de histórias sensíveis, belas e reflexivas. Para aqueles que gostam de livros que façam pensar, pois essa é uma história que fala de certo e de errado, de escolhas e de consequências, e principalmente uma história que fala de algo profundamente imprevisível e incompreensível que são  os sentimentos humanos mais primários e instintivos como a dor, a perda, a proteção e o amor.

41 comentários:

  1. Ola
    Adorei poder conferir as suas impressões a respeito desta leitura. Também já li a obra e posso afirmar que ela é muito marcante e sensível. Compreendo bem sobre sua posição sobre amar ou odiar os personagens, porque as vezes também senti raiva de algumas atitudes, apesar de que logo em seguida conseguia compreender também.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Gostei da resenha, gosto muito de histórias reflexivas, vou anotar a dica, não conhecia esse livro

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Além da premissa ser bastante interessante, esse dilema moral inserido na trama me chama ainda mais atenção. Acredito que deve ser um leitura bastante intensa e reflexiva.
    Gostei dos pontos que você ressaltou e de conhecer a sua opinião sobre a obra.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Essa capa é linda ein? Adorei saber da sua opinião e o enredo do livro me chamou bastante atenção. Adoro livros que me fazem refletir, dica anotada.

    Beijos,
    Letícia do Garota Perdida nos Livros

    ResponderExcluir
  5. Oiee Tamara ^^
    Esse é um livro que eu tô doida para ler já tem um tempinho, parece fugir dos convencionais que sempre leio...haha' Saber que você gostou tanto e que foi fisgada já nos primeiros capítulos me deixou ainda mais curiosa, pois eu adoro quando já fico vidrada numa história desde as primeiras páginas...hehe' Difícil quando a gente ama e odeia os personagens ao mesmo tempo, né?
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  6. Nossa esse livro parece ser sensacional. Amo livros que nos tira da zona de conforto, ainda mais por ser um livro que pode não ser aquilo que eu queria. Fiquei bem curiosa para saber quem afinal vai ficar com o nenem. Ou se eles vão ter coragem de contar o que realmente aconteceu.

    Acho que se fosse eu, devolveria, mesmo que isso doesse muito em mim. Primeiro eu iria pensar na mãe da criança, pois ela deve estar sofrendo muito com a perda da filha.

    Adorei a sua resenha, ela me deixou bastante curiosa. Beijos

    ResponderExcluir
  7. Nossa! É um livro que eu leria antigamente, hoje quero mais livros alegrinhos kkkk Gostei do enredo e da resenha, mas para mim não é um bom momento ter essa leitura. Deve ser realmente difícil tomar essa decisão na situação do casal, mas sei lá... Nem consigo opinar porque eu não sei o que faria no lugar deles.
    www.praxeliteraria.com.br beijos

    ResponderExcluir
  8. É tão bom se surpreender com um livro que passou pela gente várias vezes e finalmente lê-lo. Sinto que é o tipo de leitura que me agrada, então o adicionei na minha listinha, curiosa pra saber mais sobre o casal.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Tamara!
    A minha amiga leu esse livro e gostou bastante! O fato de ser um enredo novo para os leitores é o que mais me deixa feliz, e conhecendo os drama pelos quais os personagens passam dar pra começar a compreendê-los.
    Fiquei sabendo da adaptação para o cinema, e pretendo assistir, mas antes com certeza vou querer ler o livro! <3
    Parabéns pela resenha!

    Beijos!
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi tudo bem?
    Eu não conhecia o livro mas gostei bastante da premissa parece ser daqueles livros que nos levam a refletir né? Acho maravilhoso quando o livro vai além das nossas expectativas.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá...
    Adorei sua resenha ;)
    Sempre tive muita curiosidade sobre essa obra, tanto que ela está no topo de meus desejados, mas, infelizmente ainda não tive oportunidade de ler.
    Ao ler sua resenha minha vontade de ler triplicou, adorei seus comentários, tenho certeza que irei amar a leitura, principalmente, por ser uma obra reflexiva e exigir um pouco mais de atenção.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi!!
    Eu não conhecia esse livro e a tua resenha me deixou instigada a conhecer mais dele.
    Gosto de tramas que envolvem confitos, que fazem a gente refletir, parece ser mesmo uma leitura bastante envolvente.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  13. Oi, Tamara!
    Esse livro parece pura emoção! Se você ficou emocional, com certeza vou ficar. Sempre que a história trata de temas familiares, eu fico mexida.
    Quanto ao final, estou bem curiosa. Com essa premissa, fico extremamente angustiada para saber o Tom vai fazer. Será que ela vai contar? E se contar, o que isso vai acarretar?
    Vou dar uma procurada no livro e assistir ao filme. Obrigada pela dica!
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  14. Eu ainda não conhecia o livro, mas gostei bastante de conferir a sua resenha sobre ele. Me pareceu ser um livro cativante e que nos envolve por completo durante a leitura. Dica anotada <3

    ResponderExcluir
  15. Olá, Tamara!
    Não conhecia essa obra, mas ao ler a sinopse, fiquei encantada pela trama! E lendo a resenha e a sua avaliação, fiquei mais interessada em faze essa leitura tão emocionante! Do jeito que sou emotiva sei que vou chorar muito, mesmo que o final não seja o esperado pela maioria dos leitores. Dramas e conflitos familiares me deixam sempre envolvida!!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  16. Oi, Tamara!
    Não tinha ouvido falar dessa obra! Pelo que entendi, ela é bem intensa por ter todas essas questões éticas que você mencionou. Não sei se eu teria coragem de ter as mesmas atitudes dos protagonistas, acho que não conseguiria dormir nunca mais. >.<'
    Vou deixar anotado como dica de leitura!
    Bjs!
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  17. Oi, Tamara!
    O enredo é tão interessante e chamativo. Pela capa, eu confesso que não leria, mas aí descobri do que se trata e fiquei tipo: "Meeeeu pai!".
    Ao que tudo indica, a história é bastante original, o que me deixou bastante curiosa.
    Eu adoro ler livros que demonstram os anos, o tempo! Isso nos dá uma visão muito boa de como as coisas eram e tal.
    Enfim, fiquei com muita vontade de ler. Ótima resenha!
    Beijos
    Thami, Blog Historiar.

    ResponderExcluir
  18. Oiê!
    Não conhecia esse romance e fiquei bem impressionada com sua resenha tão completa e com um parecer tão profundo, mas confesso que o enredo não me cativou e depois de ler sua opinião pessoal, não acho que essa leitura valeria a pena para mim, tenho muitos outros livros em minha TBR, então, passo a dica.

    ResponderExcluir
  19. Poucas experiencias literárias valem tanto a pena do que a gente não dar muito por um livro e ele nos tragar pra dentro do enredo. Eu também não me interessei pelo livro, mesmo com o burburinho. Agora, lendo a sua resenha, já quero ler e te ra minha opinião.
    Valeu pela dica.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Oi Tamara,
    acho que andei vivendo em uma bolha porque não ouvi/li o burburinho ao redor desse livro no ano passado, nem sequer sabia a respeito da adaptação, na verdade eu apenas conheço essa capa da lista de indicações no site da amazon mas nunca havia lido nem sua sinopse e muito menos qualquer resenha a respeito e a sua me chamou muito a atenção e me fez querer ler o livro.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  21. Oi Tamara.

    Eu tenho muita curiosidade de ler esse livro justamente por causa das resenhas positivas e por ter uma adaptação. Ainda não assisti o filme, mas quero demais. A sua resenha aumentou a minha vontade, pois fiquei sabendo que contém tudo para ter um enredo maravilhoso. Valeu pena dica.

    Bjos

    ResponderExcluir
  22. Oi, tudo bem?
    Eu fiquei sabendo da existência desse livro por causa do filme, mas acabei não lendo e nem assistindo. Fico feliz que você tenha gostado da leitura e admito que fiquei com vontade de ler também.
    É um questionamento ético muito complicado e, só por isso, já quero ler. Além disso, como você disse, é um enredo bastante original, diferente de qualquer livro que já li. Os personagens parecem ser muito humanos, com muitas falhas, mas também qualidades.
    Uma pena que o final não tenha sido exatamente o que você esperava, mas que bom que isso não estragou o livro.
    Adorei sua resenha e fiquei muito curiosa para ler este livro. Dica anotada!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  23. Eu já vi o filme dessa história e não gostei, achei muito lento e cansativo. Quando vi resenhas positivas dessa história eu também fiquei louca pra ler, mas após o filme eu desisti. Amei sua resenha, essa história é extremamente linda e certeza que o livro é melhor que o filme porém agora não conseguiria ler. Mas está ainda na minha lista de leituras e espero ler um dia!

    ResponderExcluir
  24. Oi. :)
    Já vi na sua resenha que o livro arranca lágrimas... misericórdia!
    Eu não tenho estrutura pra estórias assim, sou muito fraca pra chorar rs.
    Sua resenha ficou ótima, parabéns.
    Vou anotar a dica, vai que um dia eu não dou uma chance? Acho que vai valer a pena todas as lágrimas, pq sua resenha passou toda a beleza que essa estória traz.
    Blog As Meninas Que Leem Livros - Lauri Brandão

    ResponderExcluir
  25. Oi. não conhecia esse livro da Rocco. Achei a história tensa, não no sentido negativo, mas aquele tenso que envolve e derruba forninho. Se não fosse por sua resenha, passaria direto, mas o livro parece ser bem maior que romance romântico, como aparentou para mim na capa.

    ResponderExcluir
  26. Olá ♥
    Não conhecia a obra, mas gostei demais da premissa.
    Trabalhar a ética e moral em livros não é tão comum em livros, mas acho que deveria ser, tive estudo de moral e etica em enermagem e vi o quanto isso se basea na personalidade e no carater de uma pessoa. A premissa me deixou interessada em querer conhecer um pouco mais sobre os personagens. Imagino o quão dificil deve ter sido para personagem os abortos ainda mais no meio do nada sem recursos.O livro parece figuir bem daquilo que estamos acostumadas a ler sempre então foi por isso que me chamou tanta atenção. Sua resenha também ficou completa e de certo modo me deixou mais curiosa ainda.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  27. Apesar de ter virado filme, não conhecia a obra e estou muito animada para fazer essa leitura. Gosto de livros que nos fazem pensar é essa ainda nos tira da nossa zona de conforto. Já estou indo em busca desse livro para fazer a leitura em breve. Bjs e obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
  28. Oi! A premissa do livro é bem interessante, e como já comentaram acima, pela capa não parecia se tratar de algo assim. Só não pretendo ler no momento, pois não estou muito na vibe de ler histórias do gênero, mas vou deixar a dica anotada para uma outra oportunidade.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  29. Oi! Tudo bem?

    Adoro quando os livros abordam temas complexos e que nos fazem refletir, achei esse muito interessante, confesso que não tinha lido nada a respeito o que me deixou mais curiosa ainda para ler a sua resenha.

    Eu sou do time das pessoas sensíveis e tenho certeza que vou me emocionar com essa história, achei muito interessante a autora ter criado algo único e bem diferente de tudo que você já leu! me deixou ainda mais interessada.

    Amei sua resenha! Dica anotada!

    Beijos
    Jess
    www.pintandoasletras.com.br

    ResponderExcluir
  30. Olá!
    Eu vi um trailer dele, e fiquei mega curiosa, achei uma história linda, mas adiciona livro, lê livro, acabei esquecendo dele.
    Eu amei ter lido sua resenha, com toda certeza (dessa vez kk) irei atras dele.

    Beijos
    Leitora Dramática
    https://blogleitoradramatica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  31. Oiii!

    Eu amei ler essa obra! É sensivel, tocante e envolvente! Fiquei feliz em ver que todos que leram, gostam dela!
    A resenha está maravilhosa!

    Beijinhos,

    ResponderExcluir
  32. Oi Tamara! Confesso que a medida que fui lendo a sinopse, achava que seria mais um livro romântico, e fui bem surpreendida no final, não imaginaria que o enredo chegaria nisso. É realmente um tema bem interessante e que nunca tinha visto, que traz reflexões sobre a moral, eu confesso que não sei o que faria. A personagem Isabel já me chamou atenção de cara. Fiquei curiosa para ler :)

    ResponderExcluir
  33. Parece ser de uma sensibilidade incrível, gostei muito da resenha. Vou procurar saber mais do livro. Beijos e sucesso!

    Carolina Gama

    ResponderExcluir
  34. Olá,

    Desde que ganhei o marcador desse livro, estou louquinha querendo lê-lo, porém a oportunidade ainda não surgiu. Essa é a primeira resenha que leio, e apesar de suas ressalvas, é um livro que me atrai sabe. Adoro histórias tocantes e que me fazem chorar, no entanto não estou na vibe por agora. Contudo, como disse antes, quero muito ler esse livro.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  35. Oi.

    Não conhecia esse livro e também não tinha visto o filme. Parece ser muito bom e a trama também parece. Pela capa eu achei que fosse um gênero, mas depois de sua resenha vi que estava errada. Vou anotar o nome do livro e procurar o filme depois onde posso vê-lo. Valeu pela dica!!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  36. Oi Tamara, não conhecia o livro, mas é ótimo quando ele nos cativa assim, logo no início, sem falar das reflexões que o leitor vai tendo ao longo da leitura. Vou anotar sua dica.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  37. Nossa, me interessei demais por essa obra! Deve ser uma história bem intensa. O conjunto também me pegou, pelo personagem ser um veterano de guerra, a carga emocional que a história parece carregar... preciso ler! Excelente resenha! Obrigada por compartilhar!

    ResponderExcluir
  38. Olá, tudo bem? Não conhecia o livro, e por isso foi uma surpresa ver essa resenha. Gostei da forma que você nos trouxe a história, com pontos positivos e "negativos", além de falar um pouco de cada. Final não satisfatório é complicado né? Não sei o que pensar, pois quando acabamos um livro com sensação de faltou algo, é triste. Porém assim como você, a sinopse é bem instigante e as suas palavras me deixaram mais animada ainda. Dica anotada <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  39. To aqui boba por ainda não ter ouvido falar do livro ou do filme. Já vou procurar o filme! Amo histórias assim que são sensíveis e mostram o lado humano, que não é necessariamente certo ou errado.
    Obrigada pela dica.
    Bjs

    ResponderExcluir
  40. Oie
    quero muito ler o livro, adorei a resenha e a história, parece ser tocante e emocionante, espero conseguir ler e amar

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  41. Parece ser um ótimo livro, mas eu não acho que seja uma leitura que vá me prender. O enredo é emocionante, de certo, mas não sei. Parece que é algo que eu não vou me dar bem como leitora.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir