10 agosto 2017

[Resenha] Irmãos de sangue - Por Nora Roberts



Título: Irmãos de Sangue
[A sina dos sete #1]
Autor (a): Nora Roberts
Páginas: 288
Editora: Arqueiro
Skoob || Compre || Encontre

Sinopse: A misteriosa Pedra Pagã sempre foi um local proibido na floresta Hawkins. Por isso mesmo, é o lugar ideal para três garotos de 10 anos acamparem escondidos e firmarem um pacto de irmandade. O que Caleb, Fox e Gage não imaginavam é que ganhariam poderes sobrenaturais e libertariam uma força demoníaca.
Desde então, a cada sete anos, a partir do sétimo dia do sétimo mês, acontecimentos estranhos ocorrem em Hawkins Hollow. No período de uma semana, famílias são destruídas e amigos se voltam uns contra os outros em meio a um inferno na Terra.
Vinte e um anos depois do pacto, a repórter Quinn Black chega à cidade para pesquisar sobre o estranho fenômeno e, com sua aguçada sensibilidade, logo sente o mal que vive ali. À medida que o tempo passa,
Caleb e ela veem seus destinos se unirem por um desejo incontrolável enquanto percebem a agitação das trevas crescer com o potencial de destruir a cidade.

 Cal, Fox e Gage são três melhores amigos que fazem aniversário no mesmo dia e completarão 10 dez anos em breve. Para comemorar decidiram acampar em um local proibido na floresta, claro, sem que os pais soubessem. Só que esse local era proibido por um bom motivo e os garotos acabam fazendo algo que gerará consequências por muitos e muitos anos: libertam uma força demoníaca.

"Era curioso como eles tinham vindo para o Novo Mundo em busca de liberdade religiosa, mas perseguiam e destruíam quem não seguia seu caminho único e estreito."

A partir de então, essa força demoníaca assola a cidade em que os garotos vivem, Hawkins Hollow, gerando diversos males, a cada sete anos, a partir do sétimo dia do sétimo mês durante sete dias.

"[...] - Deuses e demônios, mas há uma linha muito tênue entre eles, não é?"

Vinte e um anos depois daquele dia em que os garotos acamparam na floresta, a escritora Quinn Black chega à Hawkins Hollow para estudar e escrever sobre os mistérios e lendas que rondam a pequena cidade. E, conforme o tempo passa, sente-se cada vez mais atraída por um destes mistérios: o Cal.





A Quinn é uma jornalista que viaja pelo país para conhecer pequenas cidades, suas lendas sobrenaturais e escrever sobre elas (emprego legal, não?). Ela é corajosa e fala pelos cotovelos quando está nervosa. Gostei muito de a autora ter retratado suas dificuldades para manter o peso: chega a dar raiva quando a mocinha é magra e esbelta, mesmo comendo tudo o que quer e não gostando de praticar atividades físicas. No geral, gostei muito da personagem.

"Não passe todo este lindo dia dentro de um livro. Por mais que eu adore livros, há uma vida a ser vivida. "

O Cal é um homem gentil, que se sente responsável por ter libertado o mal que assola a cidade há tantos anos, tenta fazer de tudo para descobrir como deter esse mal. Por isso aceita conversar com a Quinn sobre o assunto, afinal, um ponto de vista novo pode ajudar não? A atração entre o Cal e a Quinn foi imediata, mas será que vale a pena complicar mais ainda as coisas com um envolvimento romântico?

"Cal ia pegar sua faca, mas Quinn foi mais rápida e tirou um canivete suíço do bolso. Devia ter imaginado que ela teria um. Ainda assim, isso o fez sorrir. A maioria das mulheres que conhecia teria um batom no bolso, não um canivete. Apostava que Quinn tinha ambos. "

Uma das coisas que mais gostei nesse livro é que mostra os três garotos (Cal, Fox e Gage) quando crianças e como era a vida deles, depois retrata a vida adulta deles e em quem eles se tornaram, e, como o que eles passaram quando crianças os influenciou como adultos.


"Eles haviam combinado de se encontrar no extremo oeste da cidade, onde a floresta se estendia na direção da curva da estrada. O garoto de classe média, o hippie e o filho do bêbado."

Eu adoro a narrativa da autora, é muito rápida, gostosa e fluida. Os livros dela normalmente são bem leves e gostosos, e o que mais gosto neles é que não focam somente no romance, mas também na carreira dos personagens e nas relações familiares e de amizade. Agora misture isso a um terror leve, no estilo do que vemos no seriado Supernatural, ou seja, temos um mal de origem sobrenatural e os personagens tentam buscar entendê-lo para tentar detê-lo. Eu, particularmente, gostei do resultado. E, sendo extremamente sincera, eu sou medrosa e, sim, fiquei com medo ao ler esse livro, mas creio que a maioria das pessoas não sentiria muito medo.

"Talvez seja esse o motivo para eu superar a loucura, pensou Cal enquanto ia para a sala de estar. Porque independentemente do que acontecia, a mãe mantinha sua própria marca de ordem e sanidade. Exatamente como seu pai. Eles haviam lhe dado isso. Aquela base sólida como uma rocha. E nada, nem mesmo um demônio, a abalaria. "


Quem já leu as obras da autora, sabe que ela gosta de retratar personagens femininas focadas na carreira. Mas dessa vez ela deu um pisão ao demonstrar que as mulheres não precisam exercer trabalho remunerado fora de casa para serem personagens fortes e determinadas. Dêem uma olhada nesse trecho, que coisa linda:

"Houve um momento em que Cal achou que a mãe mudava as coisas porque se sentia entediada. Embora servisse vários comitês e se metesse em inúmeras organizações, nunca trabalhara fora. Houve uma época, no final de sua adolescência e início da casa dos 20, em que a Cal a vira como uma dona de casa semidesesperada e insatisfeita, e tivera pena dela.
Em certo momento, em sua sofisticação intelectual de sois semestres universitários, Cal ficou a sós com ela e explicou como via o sentimento de repressão dela. A mãe havia rido tanto que teve que enxugar os olhos.
- Querido, não me sinto reprimida. Adoro cores, texturas, padrões e sabores. Uso esta casa como meu estúdio, meu projeto de ciências, meu laboratório e salão de exposições. Tenho que ser a diretora, a designer, a cenógrafa e a protagonista de todo espetáculo. Por que eu ia querer sair, arranjar um emprego ou uma carreira, se não precisamos do dinheiro, e ter uma pessoa me dizendo o que fazer e quando fazer?
[...]
- Você é muito querido, Caleb. Vai descobrir que nem todos querem o que a sociedade, seja qual for seu espírito ou costume atual, lhes diz que deveriam fazer. Eu me sinto sortuda, até mesmo privilegiada por poder ficar em casa e criar meus filhos. Por me casar com um homem que não se importa se uso meus talentos, e sou muito talentosa, para perturbar a paz do seu lar com amostras de tinta e retalhos de tecido sempre que me dá na telha. Sou feliz. E adoro saber que você se preocupou com a possibilidade de eu não ser."

No que diz respeito à edição, eu adorei as capas dos três livros da trilogia, estão lindas e totalmente condizentes com o conteúdo. O miolo segue o padrão de qualidade da editora, ou seja, folhas amareladas e letras e espaçamentos grandes que facilitam a leitura.

Acho que esse livro é recomendado para quem gosta de romances que têm uma pegada de terror leve, no estilo do que encontramos no seriado Supernatural. Eu não li o livro assim tão rápido porque tive que intercalar com outro livro, mas quem não tem medo consegue ler em dois dias facilmente. Espero que tenham gostado da dica. Até mais.




12 comentários:

  1. Ola
    Gosto muito da autora e adoro quando ela insere elementos de terror, suspense ou até pelo sobrenatural junto ao romance esperado. Goste muito desse trecho que você compartilhou, realmente é lindo demais. Depois de ler as suas impressões, fiquei bem curiosa para conferir esta história.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca li nenhum livro da Nora Roberts, apesar de ter vários livros desejados. Fiquei bastante curiosa por essa leitura e espero conseguir ler em breve. Achei toda a história bastante fantástica, acredito que irei gostar. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oiiii,

    Ainda não tinha conferido uma resenha sobre a obra, e achei bem interessante a personagem principal não ser um exemplo de beleza imposto pela sociedade, e de saber que ela tem um emprego interessante (não me lembro de ter lido algo sobre caçadores de lendas rs). Adorei suas impressões sobre a obra e espero poder conferir a trilogia em breve.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Bárbara,
    li poucos livros da Nora, na verdade li apenas os três primeiros da série "Quarteto de noivas" e amei a agilidade da trama, por se tratar de um romance a história foi bem leve mesmo e até divertida. E apesar deu querer conhecer outros gêneros escritos pela autora, esse não me chama muito a atenção, não sou lá muito fã desse tipo de narrativa que trás um teor mais sombrio, por isso não creio que lerei esse.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oie! Tudo bem?

    Amo esse livro! Eu tenho pavor de demônios, mas esse que tem no livro foi tão de boa que nem senti medo, espero logo pela leitura do segundo volume e automaticamente pelo último, porque com certeza será mais uma trilogia perfeita da Nora!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Esse livro tá na minha lista de desejados a muito tempo e sou doida para ler ele. Eu amo terror e quero muito ler algum livro da Nora Roberts, porque eu sempre leio exatamente isso que você falou: que a escrita é leve, rápida e fluída, além dela colocar muito elementos que se tornam características de sua escrita e eu acho isso muito legal, porque cria uma identidade original para a autora. Mas como eu ia dizendo, esse livro me chama muito atenção por trazer o terror, ainda que de forma leve, misturado ao romance, amizade, entre outras coisas. Quero muito ler esse livro logo!
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  7. Oii Barbara, tudo bem? Adorei sua resenha e saber mais sobre essa história. Já li dois livros da Nora e gosto bastante de sua escrita. Adoro romances sobrenaturais, também, então acho que será uma ótima leitura! Dica anotadíssima. Espero conferir em breve :D

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Bárbara! Não lembro de ter lido nada da Nora Roberts, apesar de ter uma trilogia dela aqui comigo. rsrs
    Esse livro parece bem interessante, apesar de não curtir muito terror. Mas acho que como você disse que a escrita dela é leve e fluida, talvez eu acabe gostando dele.
    Bjs!
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem??

    Admito que eu morro de medo haha, mas adoro a Nora <3
    Concordo muito com o fato de o bacana ser que ela não foca só no enredo principal, mas também na carreira, relações familiares e diversas outras coisas que sempre recheiam os livros dela! Ainda não decidi se vou embarcar nessa trilogia, mas gostei bastante da resenha, quem sabe eu não dê uma chance hehe - se tiver coragem rs

    XOXO
    umnovo-roteiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. OI!
    Eu tenho muita vontade de começar a ler essa série mais voltada para o terror da Nora, simplesmente porque amo a escrita dela.
    Acho muito incrível ela conseguir focar no terror, na vida profissional e pessoal de cada um e ainda dar tempo pro romance, ela consegue equilibrar muito bem as coisas pelo jeito.
    Ótima resenha

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Não conhecia este livro, porém adorei o enredo. A resenha me deixou muito curiosa para ler algo da Nora, porque também não li nada dela ainda. O trecho do livro me deixou de boca aberta, se ela é assim nos demais livros já gostei dessa autora.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá! Bom dia!

    Gosto muito dos livros da Nora! Sabe aquele livro que aquece o coração, são assim os romances dela para mim, mas esse livro, trilogia, não conhecia não, eu não curto coisas sobrenaturais, mas como tem romance, quem sabe, né!!!O enredo me deixou curiosa. E também gostei da capa....sou dessas!!!
    Beijos

    ResponderExcluir