30 agosto 2017

[Claquete] Death Note, pior adaptação?



Sinopse: Seattle, Estados Unidos. Light Turner (Nat Wolff) é um estudante brilhante que, um dia, encontra um caderno que repentinamente cai do céu. Trata-se do Death Note, que permite ao seu portador matar qualquer pessoa que conheça a partir da mera anotação do nome do alvo numa de suas páginas. Sob a influência de Ruyk (Willem Dafoe), o dono do caderno, Light passa a usá-lo para eliminar criminosos e pessoas que escaparam da justiça. A súbita onda de assassinatos faz com que ele seja endeusado por muitos, que o apelidaram de Kira, mas também atrai a atenção de um enigmático e também brilhante detetive, chamado L (Lakeith Stanfield).

Título: Death Note
Lançamento: 25 de Agosto de 2017
Duração: 1h 41min
Direção: Adam Wingard
Gênero: Suspense, Terror, Fantasia

Light Turner é o típico adolescente reprimido do colegial. Inteligente, e, sempre na sua, evita confronto com as pessoas fazendo a tarefa dos colegas, porém não imune ao valentão da escola. O jovem é da forma que é pelo fato de ter perdido a mãe muito cedo de forma trágica e o culpado não ter recebido a justiça que merecia. Numa tarde qualquer, o jovem encontra um caderno de couro preto no pátio do colégio intitulado de Death Note. Na hora ele não dá muita bola, porém mais tarde, Ruyk, um shinigami (deus da morte), se revela e mostra o propósito do caderno.

"Todos que tornam a vida miserável...
tornam a vida perigosa.
E se eu pudesse mudar as coisas."

Todo aquele que ter seu nome escrito no Death Note tem sua vida ceifada. A pessoa que escreve pode escolher, tanto a forma, como também a hora e o local da morte. A princípio Light acredita que a aparição de Ruyk seja apenas fruto da sua cabeça, e assim, extremamente relutante, escreve o nome do valentão da escola que naquele momento estava importunando uma estudante. Segundos depois Ligth vê a morte que planejou ser concretizada em frente aos seus olhos.

"O humano cujo nome for escrito este caderno morrerá."

Tomado pelo novo poder, Ligth mata o assassino de sua mãe, e também, após revelar seu segredo para Mia, jovem da escola pela qual é apaixonado, os dois embarcam na boa e velha justiça com as próprias mãos. Juntos eles se tornam Kira executando todos aqueles que cometem injustiças no mundo e dividem a humanidade com suas ações. Alguns o adoram, outros o temem. Após vários acontecimentos, um investigador secreto intitulado de "L", se interessa pelo caso, e assim começa uma investigação na cidade de Seatle para descobrir a identidade de Kira. Uma caçada de gato e rato se inicia entre duas pessoas com ideais diferentes.


Quando o assunto é adaptação costumo ter muita cautela. Assim que o primeiro trailer de Death Note, e as cenas de divulgação, foram liberadas, percebi que seria bem diferente do anime / mangá que atraiu uma legião de fãs. Ao ver o produto final não restaram dúvidas. Os produtores da Netflix não fizeram uma adaptação, para esse filme ser considerado uma adaptação no mínimo deveria se parecer com a obra original. Aqui pegaram a trama do garoto que encontra o caderno da morte e faz justiça com as próprias mãos, e, recriaram um enredo totalmente novo, e isso não foi algo bom.


Todas as "críticas" que faço aqui são pelo ponto de vista de um expectador e não de um profissional do ramo de cinema. Sabendo disso, e também que não é necessariamente uma adaptação, mas sim uma "remontagem", tentei ver o filme com a perspectiva de uma pessoa que nunca nem ouviu falar da história original, e esse é o maior problema do filme. Ele foi feito para pessoas que já tem base formada sobre o enredo. Coisas cruciais para o entendimento da estória foram deixadas de fora, eu entendi por que já vi o anime, mas quem não viu fica perdido. Primeiro pois explica de uma forma bem rasa como o Death Note funciona, e dessa forma, abre várias questões e dúvidas. Segundo, a motivação dos personagens são sem sentido, e se isoladas separadamente, imaturas.


O Light do anime é um jovem gênio, egocêntrico, frio e sagaz. Aqui vemos um adolecente como qualquer outro, inseguro, medroso e extremamente influenciável. A primeira vez que ele usa o caderno é por pura pressão do Ruyk, e isso se repete várias vezes, porém dessa vez através de Mia, que no final das contas se torna uma personagem muito mais interessante do que o próprio protagonista. Sei que disse que analisaria sem a influência do anime, no entanto esse é um ponto chave, a personalidade do protagonista do anime justifica as ações do Light, ele querer ser um Deus que pune os malfeitores. O do filme ser tão "medroso" tornam as ações dele totalmente injustificadas pois ele tem medo até mesmo do valentão da escola. O pior mesmo foi ele ser dessa forma o filme todo e na última cena demonstrar um "gênio" com um plano super mirabolante, e essa cena foi justamente a que gostei. Se pararmos para pensar e analisando, se o filme tivesse seguido essa linha, teriam acertado em cheio.


Toda a construção do filme foi convertida em algo "comercial" e "americanizada". Desde as atitudes clichês dos personagens, como toda a fotografia, jogo de cores e a trilha sonora, que diga-se de passagem, foi bem ao estilo filme adolescente. E chegamos a um ponto crucial. Mesmo que o filme seja ruim, se ele manter seu gênero e ficar na sua casinha cumprindo seu papel, Death Note acabaria sendo aceitável de alguma forma. Porém ele não sabe o que é. Uma hora é terror, outra muda pra comédia, depois passa pra um romance adolescente, depois policial e ação. Ele ser tão perdido e mudar tanto faz com que o espectador fique perdido também, e, não saiba o que sentir no momento das cenas.


Porém, como em tudo que vejo, procuro sempre encontrar pontos positivos na trama. Achei algum? Sim, mas foi bem difícil e depois de pensar muito. A atuação do Willem Dafoe, eterno duende verde, como Ruyk ficou SENSACIONAL, claro, isso na medida que seu personagem permitia. Ele foi um Ruyk espetacular e incorporou com perfeição a imagem de deus da morte que tinha através do anime. Cá entre nós, só a cara dele sem nada já mete um pouquinho de medo (risos). Outro ponto positivo na trama é o debate sobre as ações do Kira. Eles elevaram a nível mundial as ações dele, e assim, o mundo dividiu-se entre achar certo bandido morrer, e não achar certo. É uma questão que já vimos várias vezes em mídias sociais, quem nunca ouviu a frase de "bandido bom, é bandido morto". Mesmo que o filme não explore com afinco esse tema, é legal ver que até mesmo a polícia fica dividida, pois alguns ficam a favor do Kira e não querem pegá-lo.


Bom, depois de pesar todos os lados, Death note não é um filme que deve ser encarado como uma adaptação da história original. Possui diversos problemas, que me incomodaram, e que sei que incomodaram a maioria das pessoas que assistiram o filme. Pela primeira vez nesse blog, não indico um filme.

13 comentários:

  1. Olá... Parabéns!! Adorei como você opinou sobre o filme, com todos os detalhes!!

    https://livrosediversasideias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Muito legal sua postagem, bem completinha. Vi falarem bastante desse filme, mas nem sabia do que se tratava, haha. É uma pena que não seja bom...

    Beijos,
    Duas Livreiras / Sorteio "O gnomo Elias"

    ResponderExcluir
  3. Olá Stéfani;
    Vi o filme e gostei, não conhecia o anime e só ontem vi o primeiro episódio dele e claro que notei diferenças significativas. O filme é estilo Sessão da tarde, com direito a nerd apaixonado por líder de torcida, mesmo assim gostei, vamos ver se depois de terminar o anime se minha opinião não mudará rsrs.

    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Boa noite, não conheço o filme, mas você o apresente bem, não faz muito o meu tipo mas se tiver a oportunidade assistirei.

    ResponderExcluir
  5. Você está de parabéns,gosto de ler posts assim que fala quase tudo sobre o filme e mim deixa curiosa pra assistir.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Apesar de ter gostado muito das suas considerações sobre o filme confesso que não sou muito fã desse gênero, por isso não assistiria.
    Fica pra próxima!
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  7. Você disse tudo: esse é só mais um filme adolescente americano.
    Eu ainda tinha esperanças de ver um bom filme. E olha que quando vejo uma adaptação sempre considero que é um novo produtor, que tem um novo formato, uma outra mídia. Eles fizerem um novo produto, mas muito ruim. O protagonista é um péssimo ator.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi tudo bem?
    Confesso que já tinha visto no catalogo da netflix e já havia me chamado a atenção mas sua resenha me deixou com um pé atrás, não sabia que era a adaptação de um livro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Eu ouvi tantas críticas ruins a respeito dessa adaptação que desanimei de assistir. Não conhecia nada da história, por isso acho que não vou perder nada.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  10. Oiii!

    Eu assisti no final de semana e achei um ótimo filme de comédia. Claro que eu não tenho nenhuma ligação com a história original, e acho que justamente por isso não achei o pior do mundo como todos estão dizendo.
    Eu nunca mais levo em consideração as palavras adaptações, pq eu sei que nunca será igual. Acho que a unica coisa que eles usaram mesmo foi a base. No fim, foi bom pq eu ri bastante, mesmo esse não sendo o objetivo.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  11. não conhecia a adaptação, mas certamente por fugir disto '"Toda a construção do filme foi convertida em algo "comercial" e "americanizada".' que bom que você encontrou pontos positivos. Como não assisti, não sei como interagir, porém, no geral, veria se não tivesse outra coisa por fazer. adorei sua crítica.

    ResponderExcluir
  12. Oii, tudo bem?
    Vi o anime há algum tempo atrás e gostei muito, é um dos poucos animes que gosto. Justamente por isso, optei por não assistir o filme porque sabia que acabaria me decepcionando hahahah
    Vi apenas o trailer e já consegui notar que tinham tirado a essência de Death Note, como você mesma disse, transformaram a história em um filme adolescente. Acho que adaptações americanas de animes não são uma boa ideia hahahah
    Uma pena que você não tenha gostado, mas sua resenha ficou muito boa e gostei de lê-la.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Vou ser sincera, nunca tive muita vontade de assistir essa adaptação, tanto a primeira quanto a segunda, mas os comentários estão realmente me deixando muito curiosa, então, estou fazendo sérias considerações para assistir, rs

    Bjs!

    ResponderExcluir