23 junho 2017

[Claquete] Filme - Na natureza selvagem


Sinopse: Início da década de 90. Christopher McCandless (Emile Hirsch) é um jovem recém-formado, que decide viajar sem rumo pelos Estados Unidos em busca da liberdade. Durante sua jornada pela Dakota do Sul, Arizona e Califórnia ele conhece pessoas que mudam sua vida, assim como sua presença também modifica as delas. Até que, após dois anos na estrada, Christopher decide fazer a maior das viagens e partir rumo ao Alasca.


Título: Na natureza selvagem
Lançamento: 14 de março de 2008
Duração: 2h 27min
Direção: Sean Penn
Gênero: Aventura, Drama

Chris é um jovem nascido em família rica que sempre teve todo conforto e bens materiais que o dinheiro pode proporcionar. Quando se forma com boas notas na faculdade, decide largar tudo: o fundo de reserva para os estudos, seu carro, a família e o conforto da sua casa para levar um estilo de vida mais alternativo, em meio à natureza.

"- Quero te dar um carro novo.
- Porque eu ia querer um carro novo? O Datsun está perfeito. Eu não quero nada"

Como está sem dinheiro e sem meio de condução, ele conta com a boa vontade das pessoas em lhe dar carona e trabalha em troca de comida e hospedagem. Sendo que em alguns momentos ele vive realmente na natureza, sobrevivendo com recursos naturais. Até que ele encasqueta que quer ir para o Alasca e começa a se preparar para isso: trabalha para juntar dinheiro e inicia o preparo físico.

"Há pessoas neste mundo que saem á procura de aventura.
Christopher McCandless está em buca de si mesmo."

Assim, as cenas do filme são intercaladas entre dois momentos: 1. Quando Chris saiu de casa e começou a aventura, e, 2. Dois anos depois, quando ele chega ao Alasca. Devo alertar que o filme é baseado em fatos reais.





Cara, eu tomei um tranco de proporções épicas quando assisti a esse filme. Meu simpático namorado indicou dois filmes para mim, alegando que "riu demais". Eu, inocente, depois de ter estudado 10h horas naquele dia, com o cérebro já derretido, quase escapando pelos ouvidos, decidi digitar o nome de um desses filmes na Netflix, sem nem ao menos ler sobre o que tratava. E, quando o filme terminou, eu estava chorando e considerando minha vida um exercício de futilidade.

Credo Barbara, porque te afetou tanto?

Acho que todo mundo já deve ter feito essa reflexão: nós nascemos, estudamos, trabalhamos, envelhecemos, curtimos um pouco a aposentadoria - se tivermos sorte -, e depois morremos. Por isso mesmo, eu já pensei várias vezes em vender todos os meus pertences, comprar uma passagem de ônibus e sair viajando pelo país trabalhando em troca de hospedagem, e, também para juntar dinheiro para comprar um estabelecimento beira mar.





Porque ainda não fiz isso? Sou covarde e certinha demais, precisaria de algum tipo de segurança antes de fazer algo do tipo.

E o filme é cheio de reflexões como: Porque trabalhamos tanto para poder comprar coisas que não precisamos, sendo que nem nos sobra tempo para usufruir dessas coisas? Se formos parar para pensar, importa bem mais com quem estamos do que o lugar em que estamos. Já tive noites bem desagradáveis em restaurantes caros e já tive as melhores noites tomando cerveja em um posto de combustível, ou só conversando na sarjeta da calçada.





Acho que deu para entender que não foi boa ideia assistir ao filme e fazer todas essas reflexões enquanto estou estudando entre 6 e 8 horas por dia para passar em um concurso, não? E não, não há motivo para preocupação, meu namorado continua vivo, e, caso tenha despertado a curiosidade de alguém, o outro filme que ele indicou foi “Meu irmão é um idiota”, que também está disponível na Netflix.

Devo ressaltar que somente o momento foi errado para assistir, mas o filme é realmente muito bom. E, depois de pesquisar um pouco, vi que ele é baseado em um livro, que já quero ler, mas mais para frente . É um filme que indico para todos, ressaltando que nos faz refletir, então não pode ser assistido assim tão despretensiosamente. Espero que tenham gostado da dica. Até mais.





16 comentários:

  1. Oie...
    Acho que você não escolheu um bom momento pra assistir esse filme kkkk...
    Porém, acho que não terei esse problema, pois, estou desempregada no momento, então, acho que o filme não me fará mal rsrs... Já tinha interesse em ver esse filme ha algum tempo e agora ao ler seu post essa vontade se reascendeu...
    Vou chamar as amigas pra assistir ;)
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ola
    Coincidencia ou não, um amigo me indicou esse filme ontem, porém ainda não tinha tido o tempo para procurar mais informações a respeito. por isso adorei poder conferir sua postagem, e agora fiquei ainda mais curiosa para assistir também. Acho que irei adorar, porque só pelos elementos destacados, sinto que parece ser ótimo.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  3. Oi, Bárbara!
    Já assisti o filme! Realmente, eu fiquei arrepiada depois que soube que era baseado em fatos. Caramba! E fiquei de ler o livro, que não sei bem se é um relato em primeira pessoa, ou se é um relato pós-"final da jornada". Vou atrás disso logo logo.
    Bjos!
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  4. Achei a sua reflexão sobre largar tudo muito pertinente. Largar tudo e viver com simplicidade, mas intensamente, é o que muitas pessoas desejam, mas acabamos nos amarrando com outras coisas, que também são importantes e aí entra a questão prioridade. Adorei a indicação do filme, adorei a forma como você nos apresentou.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Bárbara!

    Eu já assisti Na Natureza Selvagem e apesar de ser um filme que muita gente gosta ele definitivamente não é pra mim, ele realmente propõe algumas reflexões interessantes e critica bastante esse materialismo exacerbado que vivemos, mas mesmo com esses pontos todos positivos achei o filme meio cansativo na época que vi (logo que foi lançado, talvez hoje com a maturidade que tenho teria uma ideia completamente diferente).

    Beijinhos - Jessie
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Barbara...
    Menina que filme mais intenso... confesso que eu gosto de histórias reflexivas, mas realmente tem momentos e momentos e eu acredito que eu não to no momento certo para assistir esse filme não...
    Mas me conta uma coisa, pq seu namorado riu muito com esse filme? O.O

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi.
      Realmente é um filme que tem que estar no clima para assistir.
      Na verdade ele indicou dois filmes no mesmo momento. Um do gênero comédia e este. Por conta da maneira que ele falou, eu pensei que os dois fosse. comédia e coloquei para assistir sem nem ler a sinopse, pois estava cansada.
      Beijos.

      Excluir
  7. Oii!
    Nossa só pela resenha já fiquei pensando muito aqui...
    Já vou colocar na lista aqui para assistir.

    ResponderExcluir
  8. Eu só vejo comentários positivos sobre o filme e o livro! Talvez não seja o meu momento pra ler, mas definitivamente sei que vou adorar, só essa fotografia me ganha por completo! E ah, vá com calma nos estudos, dê um descanso pra sua cabecinha.

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Eu já ouvi falar que o filme é realmente tocante e muito bom, mas não assisti ao mesmo ainda.
    Já irei procurar agora mesmo na Netflix e espero gostar tanto quanto você.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Bárbara

    Esse filme é ótimo! Eu já tive a mesma ideia que você, mas, assim como você se definiu, sou uma covarde! Hahaha
    A verdade é que nos somos programados... nós viemos pada esse mundo a fim de completar um ciclo... um ciclo entediante! Queria ter coragem pra jogar tudo pro alto, mas não tenho, então vou seguindo a programação...

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?

    Então Bárbara, eu nunca assisti esse filme, mas já li ótimas críticas sobre o mesmo. Parece ser um filme tocante e envolvente, além de ter diversas mensagens que nos fazem refletir. Fico feliz que tenha gostado!
    Abraço

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Realmente parece ser o tipo de filme que mexe com a cabeça de quem está assistindo, porque essas reflexões sobre viver se preucupando demais e não aproveitar a vida verdadeiramente acho que passa pela cabeça de todo mundo, principalmente quando a gente está desempregado igual eu estou kkkkkkk
    Enfim, uma ótima recomendação

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que não costumo ver muitos filmes, então não fiquei muito animada com a sua dica de hoje, mas ao mesmo tempo achei interessante ser um filme baseado em fatos reais, sendo que parece ser uma boa história para acompanhar.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  14. Oi querida!
    Quando eu li a primeira vez a sua opinião sobre o filme, esperei para comentar apenas quando tivesse assistido. Porque como todos eu também penso na vida, sendo uma roda gigante onde todos vivem de forma monótona; Nascemos, estudamos, trabalhamos e no final vamos aproveitar o resto de saúde que nos resta. Por isso, eu esperei para ver o filme quando estivesse longe de tudo, para assistir e desfrutar da história.
    Amei a sua opinião, e a sua dica de filme foi uma das melhores que tive no ano ♥

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  15. Olá Barbara,
    Seu namorado é malvado, hein?
    Ainda não conhecia esse filme, mas fiquei interessada em assistir, pois gostei muito da premissa dele. Adoro filmes com esses temas marcantes e sinto que vou curtir de verdade.
    Acho que esse filme ensina a valorizar o que é realmente importante.
    Beijos

    ResponderExcluir